7ª Meia Maratona das Cataratas

Este texto é da autoria da minha amiga Gabriela Louzada, que se estreou na distância da Meia Maratona no passado fim-de-semana, na Meia Maratona das Cataratas. Por uma questão técnica estou eu a publicar o texto, mas o mérito é todo da Gabi.

Quando aceitei o desafio do querido amigo Nuno, não assinei cláusula nenhuma que garantisse bons resultados ou até um treino sério. E assim foi: sem grandes resultados, o justo reflexo de pouco treino e alimentação ainda bem distante do ideal pra alguém que se dispõe a correr (ou completar, não necessariamente correndo) 21km.
As cataratas da Foz do Iguaçu.

Parque Natural de Iguaçu

Fazia bastante frio na manha da prova, acho que por isso, e também pelo excesso de tempo (fruto da ansiedade) alonguei-me bastante antes da largada. Fiz os 10 primeiros quilómetros em ritmo conservador, pois sabia que após os 10 habituais teria que vencer mais 11k. Na marca dos 9k tive que andar pela primeira vez (era uma subida enorrrme). 


Parque Natural de Iguaçu




Ainda consegui correr ate o quilometro 12, a partir dai andei todas as subidas correndo somente nas partes planas ou de declive até ao quilometro 17, quando não pude mais correr, sentia dores na lombar, nos joelhos e principalmente nos tornozelos e pés – andei ate avistar o portal de chegada, e corri sobre o tapete vermelho estrategicamente colocado para receber os campeões nos 50 metros finais da corrida, afinal não queria aparecer andando na foto oficial de chegada!




A Gabi e a sua medalha, conquistada com muito esforço e mérito.

Obrigado pelo relato Gabi e parabéns pelo desafio concretizado!!! Boa sorte para as próximas corridas!!! 😉


Published byNuno Gião

Chamo-me Nuno Gião e sou um atleta de pelotão que gosta de correr longas distâncias. Se há uns anos atrás me tivessem dito que ia correr uma meia maratona eu chamaria louca a essa pessoa. Imaginem se me dissessem que em 2014 iria correr uma prova 100 Km… Actualmente corro Ultra Trails, participo em desafios de endurance na natureza e é sempre uma enorme satisfação que cruzo as mais fantásticas paisagens. Tento superar os diversos desafios a que me proponho. A vida é demasiado curta e bonita para ser desperdiçada sentado num sofá.

No Comments

Post a Comment

%d bloggers like this: