Mr. Bean na Passadeira

Mr. Bean na Passadeira

Não há nada como sair para a rua e correr. A sensação de experimentar os elementos, sentir a chuva a bater na cara, atravessar um riacho, sentir o calor do sol no pescoço e nas costas, sentir os pés a afundar na neve ou na areia da praia, são sensações únicas e que me deslumbram nos diversos circuitos que uso para correr.

Os pisos encharcados depois de um dia chuva e um tornozelo ainda queixoso recomendavam prudência, e talvez o adiar do treino de 16Km previsto no plano para o dia de anteontem. Como a contagem decrescente para o MIUT não pára pensei numa alternativa para fazer o treino em segurança, e já que ia ao Kalorias pareceu-me que a solução seria fazer os 16 Km numa das passadeiras lá do ginásio. E se melhor o pensei melhor o fiz, chego ao Kalorias e toca a saltar para a primeira passadeira disponível, e foi neste momento que me comecei a sentir um verdadeiro Mr. Bean na passadeira…

Olho para a consola da passadeira e penso qual seria o treino que me apetece fazer. Diversas opções disponíveis, do treino rolante ao escalar uma montanha, tudo é possível. Pensei: “já que tenho de correr 16Km e isto na passadeira é mais mole que correr na rua, aproveito e testo o tornozelo na inclinação e velocidade”. E assim fiz, pareceu-me que a opção de corrida óbvia seria a “Random Hill” e toca a inserir os dados de configuração: velocidade máxima pretendida, inclinação máxima pretendida, peso, idade e duração do treino. Pareceu-me que o tornozelo se aguentaria bem a 5 min/km pelo que estimei 80 minutos para o meu treino de passadeira. Introduzo a velocidade, inclinação, peso, idade e os tais 80 minutos. Teclo 80 e o mostrador passa para 60. Pensei para os meus botões: “estupido, carregaste no 6 em vez do 8”, e enquanto pensei a passadeira começa a mover-se… Toca a parar tudo. STOP, paragem de emergência, e toca a introduzir os dados de novo: random Hill, velocidade, inclinação, peso, idade e 80 minutos, e o raio da passadeira passa de novo para os 60! Enquanto pensava de novo para os meus botões a passadeira começou a mover-se e toca a parar tudo de novo. Parei e pensei: “querem ver que o raio da passadeira não dá para mais que 60 minutos!? Não pode ser… “. Entretanto sou abordado por um instrutor estagiário que se foi apresentar, estivemos cinco minutos na conversa, e quando retomei o treino as palavras que tinha na mente eram “não pode ser…” e repeti tudo de novo na terceira tentativa. Random Hill, velocidade, inclinação, peso, idade e 80 minutos, e o raio da passadeira mete 60 e começa a rolar, e eu a começar a ficar com uma espécie de raiva, carreguei de novo no STOP e parei tudo de novo. Como por defeito sou uma pessoa optimista pensei: “Não vais ser mais teimosa que eu, vou escolher o modo manual e vais fazer o que eu quiser”, e assim fiz. Modo Manual, velocidade, inclinação, peso, idade e 80 minutos, e não é que a teimosa da passadeira me apresenta de novo 60 minutos! Já tinham passado uns bons 15 minutos e quilómetros 0, o treino não estava mesmo a começar bem. Entretanto a passadeira começa a rolar… Toca a para tudo de novo, respirei fundo e estupidamente pensei que tinha de haver maneira de seleccionar 80 minutos. Começo a vasculhar as opções de treino na consola e enquanto pensava nas diversas opções, a passadeira começa a rolar… Cansado desta luta de vitória improvável pensei: “que se lixe, vou mas é correr e depois logo se vê”. Como acabei não seleccionando nenhuma opção a passadeira marcou, não 80, nem 60, mas sim 20 minutos, e resignei-me a esta sorte, convicto que o iria repetir as vezes necessárias até fazer os 80 minutos de treino, a passadeira podia ganhar uma batalha mas não iria ganhar a guerra.

A atravessar um riacho no I Trail do Fluviário de Mora

Lá corri os 20 minutos, brincando com diversas velocidades e inclinações, chegando ao fim do tempo com pouco mais de 4 Km. O que faço agora pensei eu, ainda faltavam 12 Km para o objectivo, pelo que me pareceu óbvio: Random Hill, velocidade, inclinação, peso, idade e desta vez 60 minutos. A passadeira começa a rolar. Rola, rola, mas sempre muito abaixo dos 5min/km que tinha indicado como velocidade máxima, tão abaixo que apenas me permitia caminhar em passo não muito rápido. A inclinação continuava no 0 apesar de ter indicado 20 como inclinação máxima. Desta vez decidi esperar pelo que acontecia e aguardar pelas surpresas do Random Hill. Um minuto, dois minutos, e nem o ritmo nem a inclinação se alteraram. Começo a carregar nos botões da velocidade e da inclinação para criar alguma emoção e lá consegui finalmente correr. Há minha frente um LCD passa o jogo da Liga dos Campeões entre o Mónaco e o Arsenal. Cinco minutos de treino e a passadeira parece ganhar vida, acelera um pouco e eu acelerei também. Na TV o Arsenal carregava sobre o Mónaco enquanto eu corria. De repente a passadeira abranda, dei um passo mais rápido e com a barriga carreguei no “STOP”, o tal botão que para tudo de emergência. Tinha corrido pouco mais de dois quilómetros. Dei-me por vencido e desta vez deixei a passadeira ganhar a guerra. Desci da passadeira, alonguei e fui para o banho.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

Published byNuno Gião

Chamo-me Nuno Gião e sou um atleta de pelotão que gosta de correr longas distâncias. Se há uns anos atrás me tivessem dito que ia correr uma meia maratona eu chamaria louca a essa pessoa. Imaginem se me dissessem que em 2014 iria correr uma prova 100 Km… Actualmente corro Ultra Trails, participo em desafios de endurance na natureza e é sempre uma enorme satisfação que cruzo as mais fantásticas paisagens. Tento superar os diversos desafios a que me proponho. A vida é demasiado curta e bonita para ser desperdiçada sentado num sofá.

No Comments

Post a Comment

%d bloggers like this: