Grande Prémio de Porto Salvo

Grande Prémio de Porto Salvo

Domingo foi, como tinha referido no artigo anterior, o inicio do Troféu das Localidades e, o meu regresso às corridas de estrada.

Já não me lembrava bem das sensações de correr uma prova de estrada.

O burburinho dos milhares de participantes.

A sensação antes da partida de que vou ser atropelado por toda a multidão que se encontra atrás de mim.

As picardias entre os atletas ao longo da prova.

A superação dos objectivos “invisíveis” que vou definindo já no decorrer da prova.

 

Após uma série de meses de treinos muito limitados, á altura de tentar retomar a forma rumo aos 100Km. É uma espécie de “dos 100Kg aos 100Km” parte II. Ainda estou na fase inicial de perder o peso que acumulei ao longo dos últimos meses, mais ou menos 10Kg só para ficar mais confortável.

O ritmo também é agora bem mais lento do que já foi, mas não há milagres e, devagar, irei de novo chegar à forma desejada.

Esta corrida indicava que teria cerca de 8Km e o meu objectivo era realizá-la na minha zona 3 dos batimentos cardíacos. Objectivo não atingido já que, segundo o meu registo, corri cerca de 70% da prova um pouco acima da zona 3.

Batimentos cardíacos à parte, todo este controlo resultou numa média de 5:30/Km o que deu pouco menos de 43 minutos para cumprir 7,7Km.

Mesmo assim mais para o rechonchudo, deu para ficar na posição 96 do meu escalão e em 456 da geral, não foi bom, mas também não foi péssimo, foi assim só para o deslavado.

Venham mais treinos e menos quilos, rumo aos 100Km.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Published byNuno Gião

Chamo-me Nuno Gião e sou um atleta de pelotão que gosta de correr longas distâncias. Se há uns anos atrás me tivessem dito que ia correr uma meia maratona eu chamaria louca a essa pessoa. Imaginem se me dissessem que em 2014 iria correr uma prova 100 Km... Actualmente corro Ultra Trails, participo em desafios de endurance na natureza e é sempre uma enorme satisfação que cruzo as mais fantásticas paisagens. Tento superar os diversos desafios a que me proponho. A vida é demasiado curta e bonita para ser desperdiçada sentado num sofá.

No Comments

Post a Comment

%d bloggers like this: