Ser Ultra Runner

Ser Ultra Runner

Comecei a correr em Setembro de 2011, após uma década de absoluto sedentarismo, precedida por uma juventude recheada de actividade e prática intensa de diversas modalidades desportivas.
Por essa altura de 2011 a balança oscilava já por volta dos 100 Kg. Não era o número 100 que me incomodava mas antes uma espécie de “inchaço” geral que sentia e que me impedia de sentir bem com o meu próprio corpo. Necessitava de tomar uma medida, e essa passou por começar a correr, por começar a treinar para uma simples prova de 10 Km, que na altura não tinha a certeza de concluir com sucesso. Treinei e pouco mais de um mês depois concluí com sucesso a minha primeira corrida de 10 Km. Mas isto soube a pouco, o objectivo era perder peso e treinar para correr 10 Km implicava muita velocidade, inimiga natural de um corpo com excesso de peso. Precisava algo mais longo, que me obrigasse a correr mais quilómetros e mais tempo. Comecei assim a treinar para correr a minha primeira meia maratona, que corri em Março de 2012. Após concluir meia dúzia de meias maratonas senti de novo a sensação de que precisava de algo mais e, pouco depois, iniciei os treinos para a minha primeira maratona que concluí com sucesso em Fevereiro de 2013. Os maiores desafios estavam agora para chegar.
A definição de Ultra Maratona remete-nos para todas as provas de corrida que sejam superiores aos 42,195 Km da maratona. A maior ambição de grande parte dos atletas de pelotão é correr uma maratona. No entanto há um grupo mais reduzido de atletas, que gostam de levar o seu esforço ao extremo e correr distâncias superiores à da maratona, quase sempre em circuitos exóticos e tão diversos como o deserto ou a alta montanha.
Eu também pertenço ao grupo desses “malucos” que desfrutam, e muito, a correr ultra maratonas.
Na minha opinião pessoal ser corredor de ultra maratonas é mais uma questão de atitude e de filosofia de vida. Não sou profissional do desporto e necessito conciliar toda a minha vida profissional e pessoal com a necessidade de treinar, e muito, se quiser concluir com sucesso os objectivos a que me tenho proposto. Tenho de roubar tempo a outras actividades que fazia anteriormente com mais frequência, tenho de roubar algum tempo à própria família, e tenho de desviar sempre alguns dias de férias para conciliar viagens e/ou algum descanso com provas mais duras ou mais afastadas da minha base em Lisboa.
Nunca ganhei uma prova, nem sequer fiquei nos 10 primeiros da classificação geral. Para um ultra runner do pelotão como eu, participar numa ultra não é necessariamente uma competição entre todos os atletas como na generalidade das provas de corrida. É antes um desafio pessoal, um ultrapassar de obstáculos inesperados que podem surgir a qualquer momento e uma auto superação constante física e mental para chegar ao fim. Existe também nestas provas, um grande sentimento de união e de experiência compartilhada, que nos incentiva a ter coragem e a dar mais um pouco sempre que as coisas se tornam mais difíceis.
Ser Ultra Runner é tudo isto e muito mais.
Acompanhem aqui as minhas aventuras e experiências enquanto Ultra Runner 😉