Trail do Zêzere

Sábado participei nos 20Km do Trail do Zêzere.

Fui correr em espírito de missão, a apadrinhar a Marisa na sua estreia simultânea em provas de trail e provas com mais de 10 Km.

img_20161116_082829

Correu bem. Terminámos com 3h26, mas numa estreia, com muito ainda para treinar e para perceber como se corre em trilhos, não podia ser melhor.

Eu diverti-me bastante. Ir no fim do pelotão, a ouvir os comentários e lamurias do pessoal que se “aventura” agora nos 20Km, fez-me recuar não muito longe no tempo e recordar as minhas próprias lamurias.

O caminho faz-se caminhando, e o processo de aprendizagem continua em curso.

img_20161112_104303

 

Por mais quilómetros que coloquemos nas pernas, por mais rápido que sejamos, estamos sempre a aprender e, como em tudo na vida, convém não nos esquecermos como tudo começa e respeitar muito todos aqueles que no fim do pelotão, têm o mesmo sonho que nós de correr mais longe e de correr mais rápido.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

O espirito do trail e os sonhos

Não é que não goste de ser português, mas penso que é quase unânime reconhecer que o espírito dos nuestros hermanos é bem mais fervoroso, não em particular no que diz respeito ao espírito do trail mas antes em qualquer que seja o espírito envolvido. Seja em questões sociais, em questões políticas, e para o que me interessa neste post, em questões desportivas.

É impressionante ver a “movida” espanhola quando qualquer um compatriota se envolve numa competição desportiva, é entrar para ganhar e com todo um país atrás a dar suporte. Exemplos há muitos, desde o Alonso na Fórmula 1, ao Nadal no Ténis, às selecções de Basket, de Andebol, de Futebol, e claro aos atletas de atletismo.

Uma das grandes figuras do atletismo espanhol é Chema Martinez, que tive o prazer de conhecer há três anos atrás por altura da minha estreia na maratona de Sevilha. Era ele a figura que promovia a maratona de Sevilha desse ano, e foi extraordinário sentir a emoção, o carinho e todo o apoio que os comuns espectadores espanhóis nutriam e demonstravam por ele. Um Chema Martinez que já estava na fase final da sua carreira profissional e que ainda assim era acarinhado de uma forma extraordinária. Para quem não conhece, o Chema Martinez ganhou várias medalhas de Ouro e Prata em Campeonatos da Europa de Atletismo em distâncias entre os 5000m e a Maratona. Era um atleta profissional de alto nível, o seu recorde na maratona é de 2:08:09, e é daqueles que em vez de arrumar as sapatilhas decidiu abraçar as corridas de aventura, sobretudo as maratonas no deserto.

mds chema
Chema Martinez na Marathon des Sables 2016

Vem isto a propósito da Marathon des Sables que terminou há dias, e em que Chema foi o melhor atleta não africano com um fantástico quarto lugar. Para quem não sabe a Marathon des Sables é uma Ultra Maratona no deserto, por etapas e com quase 290 quilómetros de distância. Chema já tinha partilhado na sua página do facebook algo como: que a armada marroquina esteve muito forte, que ficou em quarto lugar nesta edição mas que sonha com o pódio nesta prova e vai continuar a tentar atingir esse objectivo.

Entretanto hoje partilhou o seguinte:

“Ya estoy en Casablanca, pero mi mente no deja d dar vueltas a lo vivido estos días en Sables!
Cuando cruzas la línea d meta ya eres GANADOR!! Y eso, no te lo va a quitar nunca nadie!
Lamentablemente no todo el mundo lo consigue…así q estas líneas van dedicadas a todos aquellos q no han conseguido su sueño y q seguro volverán para conseguir culminar esta gran gesta!
Nunca debemos dejar de soñar!!”

São palavras que vindas de um atleta de um nível tão estratosférico, com um palmarés tão impressionante no mundo do atletismo e que agora se dedica a estas provas de trail/aventura, dão uma verdadeira dimensão e uma motivação extra a todos os atletas de pelotão, cujo objectivo é mesmo e apenas terminar com sucesso estas aventuras. É este também um pouco do “espírito do trail”, atletas de elite apoiarem, incentivarem e motivarem o mais comum dos atletas do pelotão.

Retive sobretudo as palavras: Nunca devemos deixar de sonhar!!

É este o mote para passar para o não menos fantástico Carlos Sá, que participou nesta mesma Marathon des Sables e terminou num fantástico oitavo lugar. Apesar de não ter um palmarés tão vasto como o Chema, se calhar fruto de ninguém ter reparado e apostado no seu talento quando jovem, o Sá não lhe fica atrás na capacidade atlética e, por exemplo, ainda há dois meses atrás terminou à frente do Chema na The Coastal Challenge, uma Ultra Maratona de 236Km na Costa Rica.

mds sa
Carlos Sá na Marathon des Sables 2016

Este ano o Carlos Sá foi participar na Marathon des Sables em equipa, com outros fantásticos atletas de renome do ultra trail mundial (Harvey Lewis (EUA), Jason Schlarb (EUA), Marco Olmo (Itália), Ricardo Mejia Hernandez (México)), para promover a divulgação da causa I Run 4 Hope, e conseguiram um fantástico segundo lugar por equipas logo atrás da equipa marroquina, o que foi um resultado fabuloso.

Partilhou o Carlos Sá na sua página o seguinte: “…este será o meu último ano na maratona das areias, fica por cumprir um sonho que era correr em equipa totalmente Portuguesa e competitiva, para tentar este pódio que acabo de conseguir com a equipa Internacional, mas como sei ser praticamente impossível conseguir sponsors em Portugal para essa mesma equipa vai ficar esse desejo por cumprir.”

Que raio de país é o nosso?!

O Chema em Espanha teve reportagens todos os dias na Marca, com artigos, fotos, vídeos, uma verdadeira promoção do atleta, do desafio e do feito conseguido.

Por cá há a promoção dos admiradores nas redes sociais, e esporadicamente umas linhas em algum jornal, muitas vezes com nomes trocados ou referências de quem não sabe sequer sobre o que está a escrever.

Fosse em Espanha, fosse o Chema Martinez a lançar um desabafo/desafio destes, e aposto que hoje já existiam patrocinadores para promover uma armada espanhola para vencer a Marathon des Sables. E olhem que Espanha tem atletas de trail dos melhores do Mundo…

Por cá, certamente que será difícil uma ou duas grandes empresas patrocinarem com 40 ou 50 mil euros uma equipa portuguesa de topo, para lutar por um lugar no pódio numa prova tão mediática como esta. Atletas de qualidade e vencedores nas mais mediáticas e difíceis provas do calendário mundial não nos faltam, mas infelizmente a visão quadrada de quase todos nós portugueses, não merece muito mais do que isto.

Eu confesso que gostaria de ver uma Armada Tuga de elite na Marathon des Sables 2017, eu confesso que partilho do sonho do Sá e que gostaria de ter uma equipa destas a competir na MDS.

Têm ideias para ajudar este sonho a tornar-se realidade? Partilhem aqui e vamos ajudar uma das maiores figuras do Trail Mundial a concretizar este sonho! 😉

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

EM’Força – Corremos com a Esclerose Múltipla

Sábado será dia de correr Esclerose Múltipla (EM).

A EM é uma doença crónica, inflamatória e degenerativa, que afecta o Sistema Nervoso Central (SNC). É uma doença que surge frequentemente entre os jovens adultos e que afecta com maior incidência as mulheres do que os homens. Esta patologia é diagnosticada a partir de uma combinação de sintomas e da evolução que a doença apresenta na pessoa afetada, com recurso a exames clínicos/exames complementares de diagnóstico. Ainda assim, a EM pode produzir sintomas tão idênticos aos de outras patologias do SNC que o diagnóstico poderá demorar anos a acontecer. Estima-se que em todo o mundo existam cerca de 2.500.000 pessoas com EM e em Portugal mais de 8.000.

A iniciativa EM’Força surge, em 2012, da vontade de algumas pessoas de juntar o desporto à divulgação de uma causa solidária, materializando-a no projeto I Will Try to Fix You, ao qual se juntou, posteriormente, a Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM), culminando no clube de corrida EM’Força.
A ideia, na sua base, passa pela nossa própria superação, aproveitando o caminho que nos levará a essa meta para a promoção e sensibilização de uma causa: a divulgação da EM.

em2
A superação individual pode passar pelo que quisermos. Uma corrida de 3 quilómetros, ou 5, ou 10, ou 21 (uma Meia Maratona) ou até a própria Maratona. Centenas de quilómetros, passo a passo, a pé, a correr, de bicicleta, o que for, rumo a um desejado destino.

Por muito grande que um desafio parecerá inicialmente, com o derrubar dos obstáculos, passará a ser um pequeníssimo degrau. Se nunca correu, o objetivo de o fazer na distância de 5Km pode parecer algo de avassalador. Pensará de forma completamente diferente quando estiver a treinar para os 10Km. E ainda mais quando o objetivo for a Maratona.
Não é relevante a distância que se corre, nem o tempo final, nem sequer se se chega ao fim. Aquilo que é realmente importante é a coragem, o espírito de iniciativa, a vontade de nos superarmos por uma causa solidária.
E, como nem todos gostam de correr, este projecto não é exclusivo para quem corre. A iniciativa está aberta para todos os que queiram ajudar, havendo sempre espaço para quem queira apoiar e torcer por quem corre ou dar o seu contributo em termos logísticos.

Inscrevam-se no treino de dia 9 de abril e venham ajudar-nos a correr com a Esclerose Múltipla! Eu vou lá estar e muitos outros amigos também.

Podem saber tudo sobre o projecto EM’Força clicando aqui.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

Dia Internacional da Montanha

Hoje é o Dia Internacional da Montanha.

Cobrindo cerca de 22 por cento da superfície terrestre, as montanhas desempenham um papel fundamental no mover do mundo em direcção a um crescimento económico sustentável. Elas não oferecem apenas o sustento e o bem-estar a 915 milhões de pessoas que vivem nas montanhas ao redor do mundo e que representam cerca de 13 por cento da população global, mas indirectamente beneficiam mais biliões de pessoas.

fao

Em particular, as montanhas fornecem água doce, energia e alimentos – recursos que serão cada vez mais escassos nas próximas décadas. No entanto, as montanhas também têm uma alta incidência de pobreza e são extremamente vulneráveis à mudança climática, à desflorestação, à degradação da terra e desastres naturais. Na verdade, um em cada três povos de montanha de países em desenvolvimento é vulnerável à insegurança alimentar e enfrenta a pobreza e o isolamento.

O desafio global é identificar novas e sustentáveis oportunidades que apresentem benefícios para todas as comunidades que vivem nas montanhas e assim ajudar a erradicar a pobreza, sem contribuir para a degradação dos ecossistemas montanhosos frágeis.

Himalaias

Este dia é promovido pelas Nações Unidas e este ano o tema é a divulgação de produtos de montanha para uma vida melhor. Podem ver o catálogo desta acção clicando aqui.

No lado lúdico da montanha, é igualmente importante a consciencialização da necessidade de preservar todos os trilhos e caminhos, deixando apenas para trás as nossas pegadas.

Afinal, quando lá estamos, também fazemos parte da montanha. Celebremos este dia, conscientes de que a montanha é um património de todos e que beneficia toda a humanidade.

UTCAM 4

aqui disse que adoro a montanha. O cume mais alto onde estive foi o Pico Coma Pedrosa a 2943 metros de altitude, muito longe dos 8848 metros do Pico do Evereste. Sou portanto um menino nestas andanças e tenho ainda muito para subir. Hajam pernas!…

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

__________

Se ainda não votaram no RunUltra Blogger Awards 2016 cliquem aqui e escolham o blog da vossa preferência, de preferência este :) Se for esse o caso, escolham o meu nome, sigam as instruções no final da página da votação e já está.

Agradeço desde já a vossa participação. 😉

Quantos KMS de Sonhos vamos alcançar?

Esta é daquelas acções que temos de ajudar e para tal temos de ajudar o meu amigo Manuel a realizar o sonho de três crianças.

O Manuel vai tentar conquistar o seu sonho de percorrer a “Corrida de Endurance de montanha mais difícil do Mundo”, o Tor de Géants. E para que este seu sonho faça mais sentido, decidiu aliá-lo ao sonho de três crianças. Para isso, juntou-se à Terra dos Sonhos para tornar possíveis os sonhos do Rodrigo, do Alex e do João.

O” Tor de Géants” – Corrida dos Gigantes, é uma corrida de montanha ininterrupta, com 330km e duração máxima de 150h (6 dias e ½). Decorre de 13 a 20 de Setembro em Courmayer, no coração dos Alpes Italianos.  O percurso é circular, à volta do Vale de Aosta, percorrendo os 25 picos deste vale acima dos 2.000m e alguns acima dos 3.000m, num total de 24.000m de desnível positivo. É denominada a “Corrida de Endurance de montanha mais difícil do Mundo”.

O Manuel tem o sonho de concluir esta prova e decidiu aliar a esse sonho, o sonho de três crianças. Para isso, juntou-se à Terra dos Sonhos para tornar possíveis os sonhos do Rodrigo, do João e do Alex, todos eles com uma doença crónica.

O Rodrigo consegue andar pelo seu próprio pé e sem ajudas, mas com o avançar da doença começa a apresentar alguma dificuldade em alguns movimentos e cansa-se facilmente. O João tem 10 anos. Há cerca de um ano recuperou da doença, revelando-se um verdadeiro guerreiro por acreditar na sua recuperação, fazendo parecer fáceis todos os tratamentos por que passou. Infelizmente os mais recentes resultados apontam para uma recaída da doença.

O Sonho do Rodrigo e do João é conhecer as personagens da Disney, pois elas são a prova viva de que tudo o que sonhamos, somos capazes de fazer acontecer, como foi o caso do próprio Walt Disney. Falar com o Mickey, rir com o Pateta ou pura e simplesmente danças com a Branca de Neve são uma enorme alegria para todas as crianças e até para os pais. Imaginem o que será para alguém que precisa tanto de aumentar o seu horizonte de sonho e de possibilidades. Vamos ajudá-los a realizar este sonho?

O Alex tem 9 anos, adora o Ricardo Araújo Pereira e ouve a mixórdia de temáticas todos os dias na Rádio Comercial, e fica muito entusiasmado quando fala do RAP e do Nuno Markl. Ele adora carros, principalmente os da Mercedes. Tem o grande sonho de visitar a fábrica da Mercedes Benz e nós queremos que o seu sonho se torne realidade!

Ajuda a concretizar estes sonhos como forma de transmitirmos ao Rodigo, ao João e ao Alex uma mensagem de esperança na possibilidade de realização dos seus objetivos mais inspiradores, levando-os a ir mais longe do que as suas circunstâncias, condicionamentos e limitações. Estes pequenos grandes momentos, sabemos bem por experiência, podem ajudar estas três crianças e as suas familias a viverem estes momentos difíceis com muito mais forças. Contribui com os teus kilómetros de sonhos!

Toda a informação sobre esta acção e como podem contribuir está disponível clicando aqui.

Boa sorte para o sonho do Manuel, que os sonhos do Rodrigo, do João e do Alex vão de certeza ser realidade.