Grande Prémio da Cruz Quebrada

Domingo foi dia de correr no Troféu de Oeiras, no Grande Prémio de Atletismo da Cruz Quebrada, uma prova de estrada com 7350 metros.

A distância desta prova poderia levar a pensar que seria uma pera doce concluí-la, mas como todas as provas, esta também teve a sua história.

Primeiro, uma prova com pouco mais de 7Km quer-se corrida rápida, mas sendo esta a segunda semana do meu plano de treinos, e tendo feito um treino de 24Km no Sábado, as pernas estavam tudo menos soltinhas para correr rápido.

Por outro lado o mini troféu com o pessoal do trabalho não permitia que facilitasse, e teria de gerir esta mini competição ao longo da corrida. Fomos os mesmo quatro que corremos os Trilhos Saloios.

A partida saiu atrasada cerca de 30 minutos e o aquecimento que tinha feito já tinha perdido o seu efeito. A partida era à sombra, estava fresquinho e estava de novo frio. O Cabaça acelerou e só o vimos de novo na meta. O Moisés, o Fonseca e eu, seguimos à vista uns dos outros no primeiro quilómetro e picos, até que eles aceleraram um pouco e eu mantive-me no meu ritmo sereno, perdendo-os de vista durante uns metros. Na subida que vai do campo de ténis do Jamor até ao Kalorias de Linda-a-Velha, apanhei o Moisés e recomecei a ver o Fonseca.

Mantive-me sereno quando começou a descida. Pensei que não devia abusar e manter o plano de rolar com calma estas primeiras quatro semanas de treino e até perder mais uns quilitos. Ia nestes pensamentos e o Moisés passa por mim de novo. Segui a cerca de 20 metros dele e quando a descida acentuou mais decidi acelerar um pouco. Às tantas dou por mim a ir a correr a 3:15 atrás do Moisés e é certo que fiquei a menos de meia dúzia de metros dele. Felizmente decidi parar o exagero e fui calmamente até à meta, tendo terminado este mini troféu na última posição, nas próximas provas vou ter de recuperar posições.

Continuação de boas aventuras!!!