Só falta a água!

O troço do passeio marítimo Cruz Quebrada – Baía dos Golfinhos, que abriu no final do ano passado, foi uma obra polémica mas está de facto uma zona muito agradável para correr, andar de bicicleta ou simplesmente passear.

Este passeio marítimo que começa no túnel da Cruz Quebrada e vai até ao Forte de São Bruno/Baía dos Golfinhos (ou vice-versa) tem cerca de 2 quilómetros de extensão e uma largura ao longo de todo o percurso de uns bons 7 a 8 metros, permitindo a circulação de todas os transeuntes nas mais diversas actividades sem qualquer tipo de atropelo.

Faltam talvez um ou dois pontos de água, que tornariam este troço de verdadeira qualidade 5 estrelas.

Hoje o Kalorias Running foi até à Baía dos Golfinhos num ritmo tranquilo, como é apanágio do treino às segunda feiras, e tive de fazer algumas paragens para cumprimentar uma série de amigos dos treinos de estrada que já não via há algum tempo, o João “Canhão” Afonso, que estava a afinar as pernas para a maratona de Boston e o Mário que andava a passear o ser rebento.

Estes finais de tarde primaverais são excelentes para correr, e a luz do pôr do sol é fantástica na nossa Lisboa.

Na próxima 2ªfeira há novo treino por aqui. Apareçam 🙂

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Nota: Já existe, (não sei se já existia antes, mas a existir nunca tinha dado por ele), um bebedouro junto à Baía dos Golfinhos 🙂

12ª Corrida do Benfica

Uma manhã tranquila pelos lados de Carnide, na 12ª Corrida do Benfica.

Muitas caras conhecidas e com alguns amigos, ilustres sportinguistas, infiltrados no pelotão maioritariamente benfiquista, a demonstrar que o desporto é e deve ser uma competição saudável.

Com o termómetro a marcar 23 ou mais graus, o calor seria a maior dificuldade.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
00:54:18 00:54:15 10.28 11.37 33.48 87.00
hours hours km km/h km/h meters

O percurso é um pouco diferente daquele que percorri há cinco anos atrás, começando agora junto do Hospital da Luz, com algumas zonas de ligeiro desnível quer a subir quer a descer.

A minha corrida foi prudente para não prejudicar a recuperação do tornozelo, e terminei com pouco mais de 54 minutos de prova.

Agora é continuar a treinar e a recuperar rumo à boa forma.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Cross Training

Já aqui tenho falado por diversas vezes sobre cross training para variar um pouco as rotinas que criamos nos músculos que mais habitualmente utilizamos na corrida, ou nas outras actividades mais repetitivas que fazermos.

Variar nunca é uma coisa má – o que vestimos, os locais onde vamos, o que comemos… Isso inclui o exercício: Faz os mesmos exercícios uma e outra vez, e alguns músculos vão ficar fortes, mas outros irão apenas estagnar. E essa estagnação pode levar a poucas ou nenhumas alterações no peso, bem como a um aumento da probabilidade de lesões.
Felizmente podemos adoptar uma estratégia de exercício não muito complexa, mas onde os benefícios são mais que muitos. O Cross Training oferece uma maneira de desafiar os músculos que podem estar a ser ignorados. Ajuda-nos a superar esses picos de estagnação, criando novas maneiras de ficarmos mais fortes. E é bom para a mente também.
O Cross Training não é difícil de incorporar. Simplesmente temos de integrar diferentes tipos de exercícios, repetições, pesos, tempos, ou intensidades – e é isso. Pode significar yoga um dia e levantamento de peso no dia seguinte. É mais uma forma de alcançar o equilíbrio, e este gráfico ajuda-nos a todos a começar.
Já sabem que eu frequento o Kalorias, para mim o local ideal para quem pretende completar e variar os seus treinos.

Partilho convosco esta infografia que encontrei sobre o cross training.

Mixing it up is never a bad thing—what you wear, where you go, what you eat. That includes exercise: Do the same thing over and over again, and some muscles will get strong, but others will just, well, stagnate. And that stagnation can lead to plateaus in weight as well as an increased likelihood of injury. Luckily there’s an exercise strategy you can adapt that isn’t overly complex but rewards in countless ways. Cross training offers a way to challenge muscles that may be getting ignored. It helps you get past those peaks, creating new ways to get stronger. And it’s good for your mind, too. Cross training isn’t hard to incorporate. It simply involves integrating different exercise types, reps, weights, times, or intensities—that’s it. It may mean yoga one day and weight lifting the next. It’s yet another way to achieve balance, and this graphic can help you get started.

Clica na imagem para aumentar

Why it is a Good Idea to Change Things up

Infográfico visto em http://www.clubwoodside.com/cross-training/

 

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

Semanas duras…

E já passaram três semanas desde o início da minha preparação rumo ao UTMB.

Foram porventura as semanas mais duras de todo o plano, primeiro porque a forma física não era a melhor e segundo porque foram semanas de carga crescente, a rondar os 100 Km semanais, a culminar com um treino longo de 40 quilómetros.

Foram semanas intensas a nível pessoal e profissional e isso, de uma maneira ou de outra, reflecte-se sempre nos dias de treino e nem sempre da forma mais positiva. Se por um lado no final de cada treino há sempre a enorme satisfação de mais uma etapa concluída, por outro é necessário encontrar (algumas vezes) uma força de vontade do tamanho do universo para dar início a cada treino. Felizmente, até agora, a coisa tem-se gerido e tem corrido bem.

O handicap maior tem sido o factor perda de peso. Não está a ser fácil perder os quilos a mais de uma forma consistente, muito por culpa própria porque também não tenho sido consistente na dieta. E sem esta consistência e rigor não há milagres.

Esta semana encerra o primeiro ciclo de 4 semanas de treino, é uma semana de redução de carga logo espera-se mais tranquila.

Faltam agora 89 dias e 1105 Km de treino para a partida. Continuo a perseguir o sonho.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

100 dias para a partida do UTMB! The pressure is on!!!

Faltam 100 dias para a partida do Ultra Trail Mont Blanc.

É o início de uma contagem decrescente simbólica, nesta que é já a minha segunda semana de preparação rumo a esta mítica prova.

A primeira semana de preparação resumiu-se a 91,3 Km de corrida com pouco menos de 2000 metros de desnível positivo. Além da corrida houve direito a treino de reforço muscular e de Body Balance no Kalorias LAV é claro. Não houve tempo para mais.

Hoje faltam 100 dias para a partida e 1255 Km de treino até à partida. O caminho ainda é longo mas faz correndo.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

The pressure is on!!

 

Let the games begin

“Oficialmente” começo hoje a minha preparação rumo ao Ultra Trail Mont Blanc.

Podia estar fisicamente melhor, (também podia estar pior), mas o importante é trabalhar com afinco nestas 16 semanas que faltam até à partida, para me apresentar nas melhores condições possíveis e tentar concretizar este sonho de 170 Km de corrida nas montanhas do Monte Branco.

A diferença entre o impossível e o possível reside na determinação de um homem e eu estou determinado a chegar ao fim.

Carte-UTMB--topography

Vão ser 16 semanas de treino dedicado, onde os que me são mais próximos e os amigos mais chegados vão sofrer (mais uma vez) com a minha falta de tempo, com as minhas ausências, e algumas vezes com o meu mau feitio. Muitas vezes não é fácil gerir a vida pessoal, a vida profissional e a exigência dos treinos para preparar uma empreitada destas.

Vão ser 16 semanas de treino intenso, onde conto cumprir mais de 1350 Km de treino de corrida, mais algumas horas de musculação e crossfit ainda por contabilizar, e muitas outras horas para a não menos importante recuperação.

Vão ser 16 semanas de sonhos, de batalhas a vencer, de objectivos a ultrapassar, de pequenas vitórias e derrotas rumo à vitória final.

Profil_UTMB2016

Vão ser 16 semanas onde me vou motivar a chegar mais longe, escrever sobre isso, sonhar com isso.

Mas serão sobretudo 16 semanas onde vou transformar isso em acção e não me limitar a sonhar.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

Subir até ao céu

Quase todos sabem que estar fechado numa sala a fazer exercício não é bem a minha onda.

Quem me rouba a natureza, o sol, a lua e as estrelas, o ar puro, os sons dos bichos, as brisas e as sombras, tira-me quase tudo. No entanto há motivos de força maior que pontualmente obrigam a trocar o ar livre pela sala do Kalorias. Foi assim o ano passado antes do MIUT e é assim agora antes dos 101 Peregrinos.

E a questão é exactamente a mesma: como correr sem correr, ou seja, como correr sem impacto nas articulações (no meu caso do tornozelo), mantendo à mesma o trabalho cardiovascular de intensidade e o trabalho muscular de pernas. A resposta que encontrei o ano passado antes do MIUT foi a maquineta de CrossRamp, que foi fundamental para manter o treino até à partida em Porto Moniz. Este ano vou repetir a lição que tão bem funcionou, até poder voltar a correr sem receios e esforço no tornozelo no meio do mato, mantendo assim a preparação em curso até à partida dos 101 Peregrinos.

A maquineta de CrossRamp é uma espécie de elíptica. Uma espécie não, é mesmo uma elíptica mas com uma configuração diferente, o tal crossramp, que permite uma inclinação entre 10 a 40 graus. Na prática mantemos o movimento elíptico como se estivéssemos a correr, mas com os pés fixos em pedais tipo skis, o que permite uma espécie de corrida em plano inclinado, sem qualquer impacto nas articulações.

Precor546

Como disse a inclinação pode variar entre os 10 e os 40 graus, e o nível de dificuldade pode ir de 1 a 20, mas não faço ideia a medida de resistência correspondem esses níveis. Sei que a partir do 17 já é muito difícil dar ao pedal, pelo que costumo treinar num nível entre o 12 e o 16, consoante o treino que tenho de fazer.

Trinta minutos de exercício com inclinação variável entre os 18 e os 40 graus equivale, no meu caso, a mais ou menos 5 km de distância, dependo da minha aplicação. Dependendo da inclinação os músculos que se trabalham neste exercício são os glúteos, quadríceps, isquiotibiais e gémeos, mantendo assim a boa forma das pernas para a corrida.

Esperam-me pelo menos duas semanas a dar no CrossRamp. Vão ser poças de suor no chão do Kalorias!

Comigo funcionou permitindo-me pelo menos manter uma forma aceitável antes do MIUT e espero que volte a resultar de novo.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

__________

De hoje até Sábado dia 2 de Abril, podem vir experimentar à borlix as novas coreografias no Open Day do Kalorias de Linda-a-Velha.

Apareçam, tragam amigos e participem experimentem as Novas Coreografias. Aulas abertas a todos Sócios e Não Sócios.
ENTRADA GRATUITA, bastando inscreverem-se na recepção.
12819414_501015820085855_4608512512772719227_o
DIA 31 MARÇO
18h00 – Power Jump
19h05 – Body Pump
20h15 – Body Jam

DIA 1 ABRIL
18h25 – Grit
19h00 – Body Combat
20h00 – RPM

DIA 2 ABRIL
10h30 – Body Balance
11h40 – Body Attack
17h00 – Sh’Bam
18h00 – Zumba
19h10 – Body Step

Um Escadinhas e Subidinhas visto por dentro

Para quem nunca experimentou e tem alguma curiosidade em perceber como é um treino Escadinhas e Subidinhas, tem aqui um vídeo que ilustra relativamente bem o que se passou numa destas noites fantásticas, pelo menos no que diz respeito às Escadinhas, já que as Subidinhas ficarão para outro vídeo.

O próximo Escadinhas e Subidinhas é já no próximo dia 25, apareçam para subir umas escadas 😉

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Fim de semana a rolar

Fim-de-semana sempre a rolar, Sábado com 31 Km de bicicleta para descontrair, Domingo com 32 Km a correr de Cascais a Lisboa para ajudar o Pedro a preparar a sua estreia na Maratona, em Sevilha já no próximo dia 19.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
01:48:52 01:43:02 31.91 18.58 52.56 390.10
hours hours km km/h km/h meters

Desde o UTAX, isto é desde Outubro, que não corria uma distância tão “grande”, e se pensar quando corri pela última vez mais de 30 Km em estrada, então já nem me lembro quando foi, pelo que o corpinho já estava a desabituar-se a estas desventuras. No entanto tudo correu bem. Deu para puxar pelo Pedro, para fazer uns quilómetros mais rápidos enquanto ia encher os bidons com água, e deu para esticar um pouco no fim para apertar com ele, mas afinal de contas quem acabou apertado fui eu, que com uma inesperada dor de barriga não consegui manter o ritmo nos dois quilómetros finais.DSC00121

Foi um bom treino que deu para testar a máquina e constatar que mais umas semanas de treino e volta tudo ao lugar, basta continuar com o empenho habitual.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
03:04:52 03:03:44 32.11 10.49 32.40 174.70
hours hours km km/h km/h meters

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Mais Escadinhas

Enquanto uns continuam em grande efervescência emocional com o aproximar da hora da partida para os Abutres 2016, eu continuo a treinar em modo “slow” para daqui a umas semanas poder recomeçar a “treinar a sério” rumo ao UTMB.

Por falar em Abutres, relembro este artigo “Ainda os abutres…” que escrevi há um ano atrás, onde abordo o tema da hipotermia e onde sugiro alguns equipamentos que permitem mitigar este problema. Continua actual e quem sabe pode ser útil para a edição de 2016. Aproveito também para desejar boa sorte a todos os amigos que vão correr ao Abutres este fim de semana.

Há 15 dias atrás gostei tanto do Escadinhas e Subidinhas que ontem resolvi cruzar novamente Lisboa de ponta a ponta para repetir a experiência. Não foi tão fácil quanto o treino, mas consegui lá chegar mesmo à hora da partida, quando o João Campos já terminava o tradicional briefing pré-treino.

DSC00022

Como já sabia mais ou menos ao que ia, desta vez empenhei-me um pouco mais e aproveitei para fazer mais repetições nas subidas de escadas. O grupo era extenso, com cerca de 70 atletas, e propicio a puxar por mais uma repetição. Não sei quantos degraus subi mas sei que foram muitos, e as paisagens da nossa Lisboa são sempre deslumbrantes lá do topo. No final o treino “oficial” teve cerca de 15 Km, e eu lá terminei com pouco mais de 19 Km, um extra que as pernas agradeceram rumo aos futuros desafios.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
02:31:06 02:10:35 19.29 8.86 23.40 587.40
hours hours km km/h km/h meters

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!