E este fim-de-semana foi a acompanhar o MIUT

Este foi um fim-de-semana cheio de emoções, não na primeira pessoa, mas sim a acompanhar todos os amigos que foram correr o Madeira Island Ultra Trail.

Uma primeira honra aos vencedores, Zack Miller que pulverizou a concorrência ao concluir os 115 Km em menos de 14 horas nos homens, e a francesa Caroline Chaverot com 15 horas de prova a vencer nas mulheres, tirando mais de 3 horas ao tempo da Ester Alves que venceu o ano passado. Ambos os tempos extraordinários face às edições anteriores.

Vejam o vídeo impressionante do abastecimento do Zack Miller, segundo consta o mais longo que fez ao longo da prova, clicando aqui.

Nos amigos, foram tantos a participar que não vou conseguir mencionar todos, pelo que da meia dúzia que me é possível agora lembrar destaco:

A Sofia Roquete e a Nádia Casteleiro, a primeira pelo excelente sexto lugar na classificação feminina e primeiro lugar entre as atletas portuguesas. É notável a sua evolução e aprendizagem ao longo dos últimos meses. Com método e alguma sorte ainda vai muito longo no Trail Running. A segunda pela perseverança e capacidade para ultrapassar os 115 Km em mais de 30 horas. Eu, por experiência própria, sei que não é nada fácil.

RPF
O Rui Pedro Julião a conquistar um fantástico 3ºLugar no seu escalão.

O Rui Pires, o Lourenço Bray e o Eduardo Pinto, que partiram com o sonho de chegar a Machico, mas que por motivos diversos foram forçados a abandonar a prova. Todos eles têm a certeza que num próximo ano irão de novo ao MIUT e vão chegar ao fim e, pessoalmente, não tenho nenhuma dúvida disso.

O Rui Pedro Julião e o Luís Roque, o primeiro por ter terminado em terceiro lugar no seu escalão, depois de tantas peripécias com o voo para o Funchal. É um verdadeiro exemplo para todos nós. O Luís porque foi o último atleta a cruzar a meta, com mais de 31 horas de corrida, a mostrar toda a fibra e coragem para chegar ao fim. Igualmente um verdadeiro exemplo para todos.

A todos os outros, muitos parabéns pela vitória que é terminar o MIUT, e para o ano há mais!

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

MIUT 2016 – Race Preview

Com a entrada do MIUT no Ultra-Trail World Tour, o número de atletas de topo participantes na edição deste ano aumentou significativamente.

Infelizmente não tenho disponibilidade no momento para fazer uma Race Preview ao melhor estilo do Ian Corless , mas repare-se na lista de atletas presentes:

miut-pro-runner

Luis Fernandes a defender o título conquistado o ano passado, Armando Teixeira a tentar reconquistar o primeiro lugar que já foi seu, e um cartaz de nomes sonantes do Ultra Trail mundial como Sange Sherpa, Jordi Bes, Iker Karrera, Zack Miller, Tofol Castaner, Miguel Heras-Hernandez ou Antoine Guillon, entre muitos outros. A luta pelo pódio será cerrada e, certamente, muito interessante de acompanhar.

Já no escalão feminino conseguirá a Ester Alves defender o título conquistado em 2015? A 12ª do ranking mundial, Carolina Chaverot, foi à Madeira para dar luta. Ou será que a suíça Andrea Huser que tem aparecido em grande forma em corridas recentes vai conseguir chegar ao primeiro. Será uma luta a acompanhar com interesse, já que há ainda mais três ou quatro atletas que poderão intrometer-se na luta pelo primeiro lugar, como a Emilie Lecomte, a Mélanie Rousset, a Juliet Blancher ou a Lucinda Sousa que venceu em 2014. Haverá ainda lugar para a Sofia Roquete, recente vencedora do UTAX, se afirmar no meio destas estrelas? Vamos aguardar e ver o que acontece.

Entretanto partilhem por aqui quais os vossos favoritos para o pódio desta edição do MIUT. Não há prémios para os apostadores mas haverão, pelo menos, momentos de boa disposição.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

Acompanhar o MIUT 2016

O Madeira Island Ultra Trail é sem dúvida uma prova que marca qualquer atleta que por lá passa.

O ano passado tive a oportunidade de participar e claro, fiquei fã desta prova, pelo que este ano tenho-me deliciado a acompanhar todos os amigos que por lá vão iniciar a sua corrida mais logo.

Nesta estreia do MIUT no calendário do Ultra-Trail World Tour, a prova ainda não começou e muitas peripécias já aconteceram. Primeiro as chuvas e os ventos fortes que têm assolado a ilha da Madeira, começaram por fazer voar a tenda principal de apoio à organização da prova, sendo necessário encontrar uma alternativa de recurso pela organização, tarefa que já foi concluída com sucesso. Depois os atletas que planearam a sua viagem para a noite de ontem viram os seus voos cancelados, encontrando-se em viagem durante a manhã de hoje, o que obviamente vai roubar algum do repouso e tranquilidade previstos para o dia do início da prova.

Este mau tempo vai aumentar um pouco a dificuldade da prova e obrigar os atletas a ter cuidados redobrados no material que levam. A subida para os Estanquinhos deverá ser feita com particulares cuidados no que diz respeito ao equipamento que levam, já que vai ser feita de noite, e o vento e o frio vão-se fazer sentir bastante. O ano passado a noite estava primaveril, mas nos últimos 5 quilómetros da subida arrefeceu bastante, com ventos gelados e até algumas pingas. Não descurem mesmo esta subida nocturna. Se tiverem thermopads não hesitem em aquecerem-se, mas vale manterem-se quentinhos do que entrar em hipotermia.

miut2016_2

Não vou enumerar todos os amigos que vou acompanhar porque a lista seria exaustiva e ainda me ia esquecer de alguém, mas vou de certeza acompanhá-los na partida na RTP Madeira e online aqui, e vão-me ajudar a reviver toda a prova como se lá estivesse de novo.

Boa sorte a todos os que vão andar pelo MIUT. Divirta-se e não se constipem!

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

Momentos

Gosto desta foto captada pelo fotógrafo João M. Faria.

miut_nsg
Antes da partida para o MIUT 2015

Capta bem o momento de introspecção que me invade antes de cada partida. O estar rodeado por uma multidão e o estar alheado de tudo e de todos. O foco na “missão” que terá início em breve, o pensar nas soluções para ultrapassar as dificuldades que aí vão começar, o constatar que apesar da presença de muitos amigos e conhecidos, só eu posso decidir o sucesso de chegar à meta.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

Está feito o MIUT

Como previ há uns dias, foi bem atípica a minha participação neste Madeira Island Ultra Trail.

Uma prova fantástica, diferente de tudo o que já corri em Portugal continental, seja Sintra, Arrábida, Estrela, Arga ou Gerês, sobretudo pela brutalidade, dificuldade e espectacularidade de todo o percurso que perfaz o MIUT.

A não recuperação total da lesão no tornozelo que me tem afectado, a prudência e a vontade de chegar ao fim, impediu que fizesse o percurso a correr como seria suposto, tendo optado por correr, marchar ou correr ligeiramente, de modo a evitar qualquer azar que o piso traiçoeiro pudesse proporcionar, afinal sempre eram 115 Km e 6800m D+. Foi uma prova onde a sorte me acompanhou e onde a resiliência e a força mental superaram todas as adversidades que foram aparecendo pelo caminho.

Cruzei todos os pontos de controlo dentro do tempo limite, e terminei a prova em 30h44, com uma hora e um quarto de folga face ao tempo limite. Com dois tornozelos em condições sei que faria esta prova em bastante menos tempo, provavelmente menos 6 a 7 horas, mas esta “teima” ficará para a segunda participação, quem sabe se em 2016.

A história desta prova está a ser cozinhada e será partilhada nos próximos dias.

Até lá fica o vídeo da chegada, clicando aqui 🙂

Sei que muitos seguiram esta aventura, mas quero agradecer em particular ao IMT Instituto de Medicina Tradicional e ao Kalorias LAV, que me apoiaram e permitiram uma recuperação para os mínimos admissíveis a participar no MIUT, à Joaquina, João, Alexandre, Bruno, Madalena, Sandra, Nelson, Lilian e restante grupo, que me acompanharam com muito fervor online à distância; à Linda pelo alojamento e boa disposição, e à Isabel, Paula, Ricardo e Andreia pela claque ao vivo e a cores.

De todos os atletas há meia dúzia, que por termos feitos bastantes quilómetros juntos, também quero agradecer a companhia e boa disposição até ao final, Diogo, Ricardo, Miguel, Picão, Rui, João Paulo, o grande Artur e de certeza mais um ou outro que agora não me recordo, a todos eles o meu obrigado e parabéns pelo desafio igualmente cumprido.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

DDD ou Dia de Decisão Difícil…

O bom planeamento de uma época desportiva é, talvez, um dos pontos mais importantes para o sucesso na concretização dos objectivos a que nos propomos atingir e, como em todos os planos, aparecem sempre decisões difíceis de tomar.

É certo que todos gostávamos de ir a todas as provas que existem por este país fora, houvesse tempo, dinheiro e sobretudo pernas para isso, mas quando falamos de ultra distâncias e provas separadas por poucos dias ou semanas, é impreterível termos de fazer uma opção.

Foi o que aconteceu comigo a planear o mês de Abril de próximo ano, duas provas míticas mas de características muito diferentes e, onde gostaria muito de participar em ambas: o Peneda-Gerês  Trail Adventure ou o Madeira Island Ultra Trail.

O Peneda-Gerês Trail Adventure são 280Km com cerca de 16000m de desnível positivo distribuídos em 8 etapas pela Peneda e pelo Gerês, locais com trilhos fantásticos para correr, e uma organização experiente e certamente ao nível das que já conhecemos e reconhecemos ao Carlos Sá.

O MIUT são 115Km numa única etapa, com 6848m de desnível positivo, e que atravessa a ilha da Madeira de Porto Moniz ao Machico por trilhos e locais igualmente de uma beleza extraordinária. Em 2015 será a 7ªedição desta prova, que pela primeira vez fará parte da Ultra-Trail World Tour.

Decisão difícil de tomar… mas desta vez a decisão foi pela participação no MIUT.

Vejam o vídeo de apresentação da prova e deliciem-se com os trilhos por onde iremos passar…

E Abril está já à porta!..