Resumo do Mês de Outubro

Mais um mês que chega ao fim e que se revelou muito interessante ao nível das corridas.

Na Maratona de Lisboa

Foi o mês da Maratona de Lisboa, onde atingi o objectivo de terminar abaixo das 4h00 de corrida. Foi também o mês de treinar, sem esforçar ao limite, para a Maratona do Porto que é já no próximo Domingo. Pelo meio ainda participei na Meia Maratona Ribeirinha da Moita, nos 20 Km de Almeirim e nos 10 Km da Night Run. A Meia Maratona Ribeirinha foi corrida em 1h51; ritmo de treino, uma semana após a Maratona de Lisboa. Nos 10 Km da Night Run bati o meu recorde pessoal dos 10 Km, o que não foi difícil devido a raramente participar em provas tão curtas. Em provas oficiais de 10 Km o meu recorde é agora de 48’40”. Por fim nos 20 Km de Almeirim fiz 1h43. A uma semana da Maratona do Porto a ideia foi rolar sem esticar muito para não cansar. O tempo foi médio para a minha forma actual, mas ainda assim dá para verificar a melhoria que existiu no espaço de um ano, tendo tirado quase 8 minutos ao tempo que efectuei o ano passado neste mesmo percurso.



Entre provas houve direito a alguns treinos de rampas e treinos de séries, que me proporcionaram o melhorar um pouco a forma face à que exibia na Maratona de Lisboa. Espero que no Porto corra melhor e consiga melhorar o meu tempo na distância da Maratona.
Na Night Run

Para a história ficam os números, que em Outubro foram:

  • Contagem: 26 Treinos + 4 Provas
  • Distância percorrida: 295,70 km
  • Tempo: 27:17:43 h:m:s
  • Ganho de elevação: 3216 m
  • Velocidade Média: 10,8 km/h
  • Ritmo Cardíaco Médio: 144 bpm
  • Calorias Gastas: 18.169 Cal

Outubro já passou e foi um mês positivo. Novembro começa já com a Maratona do Porto no próximo Domingo, para não se perder o ritmo. A todos os que vão participar na Maratona do Porto, votos de boa sorte e boa corrida.

Próximo destino: Porto.

Bons treinos e melhores corridas!!!

Objectivo: Rock ‘n’ Roll Maratona de Lisboa

Em rápida contagem decrescente para a partida da Maratona de Lisboa, já preparei tudo o que havia a preparar para tornar a corrida dos 42,195 Kms o mais confortável possível. Equipamento, relógio, géis de hidrocarbonatos, saco com roupa para a chegada, e mais alguns pequenos detalhes ao meu gosto pessoal.


Esta será a minha terceira maratona e a primeira que vou correr em Portugal. O percurso é-me familiar – (treino nele bastantes vezes), parece que vai estar uma manhã quente – (o que me fará estar ainda mais atento à hidratação),e a preparação apesar de não ter sido a perfeita foi, em teoria, suficiente para fazer esta prova com alguma confiança. Mas 42 Km são 42 Km e nunca se sabe o que pode acontecer numa distância como esta. Todos os pormenores são importantes e há que estar atento a tudo: à estrada, à hidratação, aos companheiros de corrida, e sobretudo aos sinais que o nosso corpo nos dá.

Os meus objectivos para os 42,195 Kms da Maratona de Lisboa são:

1) Terminar a minha primeira Maratona em Portugal;

2) Nunca parar nem andar;

3) Correr a um ritmo no intervalo de 5:10 a 5:30 por Km;

4) Terminar com o tempo final entre 3h38 e 3h52.


Muitos amigos e companheiros de treinos e corridas vão fazer a sua estreia na distância da maratona nesta prova. A todos eles desejo a maior sorte e que o empeno no final seja benévolo para com eles.

A todos eles que se vão estrear nesta distância, dou o mesmo conselho que recebi antes da minha estreia: Se te fores a sentir mal e cansado, abranda. Se te fores a sentir muito bem e cheio de força, abranda.

E é isto. Desistir não é opção, a prova é para acabar mesmo que seja a andar!

Correndo o risco de me esquecer de alguém, um Boa Sorte especial para os estreantes: Alexandre Perdigão, Nuno Almeida, Pedro Pisco, Luís Sousa, Marta Andrade, Daniel Ramos, Joana Saraiva, Cristina e todo o restante gang do Portugal Running que se vai estrear e com o qual tive muito gosto em partilhar alguns treinos.

A equipa Ai Cristo Cristo Vem Cá Abaixo Ver Isto, está representada nesta prova por 4 elementos: eu próprio, o João Vargas e os estreantes Alexandre Perdigão e Nuno Almeida.

Ainda um abraço para o Joost que nesta prova vai com dorsal VIP e vai correr para um resultado abaixo das 3h00, e outro para o Camané que vai tentar um tempo muito perto das 3h00. Que a prova corra muito bem a todos vocês.

Bons treinos e melhores corridas!!!

Faltam 3 dias para a Maratona de Lisboa

E só já faltam 3 dias para o início de mais uma aventura em que irei participar: a Rock ‘n’ Roll Maratona de Lisboa.
Vão ser 42,19 Km, com início em Cascais e final no Parque das Nações em Lisboa.
O apoio do público, das caras conhecidas e sobretudo dos amigos é uma motivação extra para dar mais um passo em frente e ganhar ânimo e energia para ajudar a concluir mais esta jornada com sucesso.


Por isso mesmo convido-vos a passarem no Domingo dia 6 de Outubro por uma ou várias partes do percurso desta Maratona, cujo mapa podem descarregar clicando aqui

No mapa o percurso da maratona está marcado pela linha vermelha entre Cascais e o Parque das Nações. Aplaudam e motivem os atletas, e também os outros malucos (categoria onde me incluo) que por lá vão passar a correr. Acreditem que o vosso apoio é uma motivação muito preciosa para todos e ajuda também a tornar esta prova mais famosa!!!

A maratona vai ter inicio às 10h00 em Cascais.

No final, no Parque das Nações, vai haver um concerto (entrada livre) dos Xutos e Pontapés e muita animação, apareçam também por lá e divirtam-se!!!!

Horário dos concertos no final da prova:

11:00am-12:00pm ….. Os Corvos

12:15pm – 1:30pm …. XUTOS & PONTAPÉS

1:45pm – 2:45pm …. Secret Lie

3:00pm – 4:00pm ….. Pedro Vaz e sua banda

Aos amigos que vão participar quer na Maratona quer na Meia Maratona desejo a maior sorte do Mundo e que consigam terminar as vossas provas dentro do objectivo a que se propuseram.


Obrigado a todos e para quem vai correr: uma boa prova no Domingo!!!!

Resumo do mês de Setembro

Setembro foi um mês misto de sensações boas e menos boas.

Menos boas porque a minha lesão no tibial anterior ainda entrou por Setembro a dentro e não me permitiu concluir pela primeira vez uma prova: a Meia Maratona de São João das Lampas.

Apanhado pelo Pedro Carvalho no treino da coincidência
Sensações boas, porque a partir de determinada altura consegui começar a treinar a sério sem problemas e ainda consegui recuperar um pouco da forma entretanto perdida. Venha agora a Maratona de Lisboa.

Para a história os números do mês de Setembro:

• Contagem: 20 Treinos + 1 Corrida
• Distância percorrida: 233,90 km
• Tempo: 22:09:45 h:m:s
• Ganho de elevação: 1412 m
• Velocidade Média: 10,6 km/h
• Ritmo Cardíaco Médio: 145 bpm
• Calorias Gastas: 14217 Cal

Para o objectivo Maratona de Lisboa deveria ter corrido em Setembro cerca de 75 Km mais. Só assim teria uma preparação ao nível da que atingi para a minha participação na Maratona doLuxemburgo. Fiz o que foi possível fazer e posso dar-me por satisfeito por ter recuperado a tempo de treinar o suficiente para participar na Maratona de Lisboa.

Metade da equipa ACCVCAVI depois das Lampas

Setembro foi o mês da participação na Meia Maratona de São João das Lampas onde tive de abandonar a prova a meio, mas também onde a equipa ACCVCAVI esteve representada em força com nove atletas, tendo (quase) todos conseguido excelentes resultados.

Pessoalmente, ainda tive tempo para fazer dois treinos longos, (29 e 34 Km), e o final do mês já foi em modo “taper” para chegar ao próximo Domingo em condições.
Percurso da Maratona de Lisboa no próximo Domingo, Apareçam!!!

Por falar nisso, Domingo saiam de casa e passem pelo percurso da Maratona de Lisboa. Entre Cascais e o Parque das Nações de certeza que poderão apoiar os atletas em algum ponto da prova. 
Como bónus quem sabe se não ganham o bichinho da corrida e vêm experimentar um dia destes.


Bons treinos e melhores corridas!!!

A importância do período de “Tapering”!

A propósito da participação em mais uma maratona, neste caso a de Lisboa já no próximo dia 6 de Outubro, partilho aqui um excelente texto do meu amigo Carlos Caetano sobre o período de descanso necessário antes de uma prova importante: o período de “tapering”.



Leiam então com atenção:

Infelizmente não há um termo português a dar a isto. O “Tapering” é um termo utilizado em desportos de resistência e consiste simplesmente em reduzir a carga de treino do atleta antes de uma corrida importante. Isto porque se chegou à conclusão que um período de descanso forçado antes de uma corrida aumenta significativamente o nível de condicionamento físico de atleta e aumenta o seu desempenho em cerca de 3%. Para os corredores de uma maratona, estes 3% podem-se traduzir em ser cerca de 5-10 minutos mais rápidos nessa distância.

A explicação bioquímica para a redução gradual é que, ao proporcionar descanso ao corpo, pode-se recuperar do choque de semanas e meses de treinos duros e, desta forma, ter mais hipóteses para um desempenho de topo. O treino pesado realizado pelo atleta antes da corrida agride e esgota o seu corpo, reservas de glicogénio e hormonas, prejudicando a resistência natural e causando danos musculares subtis. O período de “taper” permite que o corpo reponha todas essas reservas e repare os tecidos musculares, para que possa estar alinhar na linha de partida totalmente recuperado e na sua forma ideal.

Para a maior parte dos corredores, um período de redução gradual pode durar entre 10 a 21 dias, dependendo da duração da corrida – quanto maior a corrida, mais tempo de “taper”. Durante este período, o corredor deve diminuir a sua quilometragem semanal entre 30% a 85%. Embora alguns sugiram uma diminuição gradual no volume de treino, um estudo científico realizado em 1999 mostrou que, durante 14 dias, uma diminuição rápida da quilometragem em 50% durante os primeiros três dias, seguida de 75% nos outros três dias e continuado num constante decréscimo nos últimos oito dias, resulta numa melhor performance na corrida. Também foi demonstrado que, ao contrário da crença normal, a corrida durante o período de redução gradual deve ser feita em alta intensidade. Treinos intervalados em ritmo de corrida de 5K e ritmos rápidos são aconselhados.

Bons treinos e melhores corridas!!!…

Quantos minutos valem 20 dias de paragem?

Arrisco-me a dizer que tal como as cartas de amor, todas as lesões são ridículas.

E também eu tive uma lesão ridícula. (No tíbiocoiso que é como quem diz no músculo tibial anterior).

Tão ridícula que é esta lesão que me “obrigou” a suspender os treinos por 20 dias.

No Treino Temático de homenagem a Fernando Pessoa.
Parecem ridículos (os 20 dias), mas a meio da preparação para uma maratona eu é que fiquei ridículo com cada treino perdido.

É a ridícula diferença entre ambicionar correr os 42195 metros em 3h30 e agora ter de esforçar-me o suficiente para os correr em menos de 4 horas.

Parece ridículo, mas acreditem que nos 42 Km faz toda a diferença corrê-los a 5:40/Km ou a 4:58/Km.

Completei há pouco o primeiro treino pós lesão sem qualquer dor durante a corrida. Apesar da má “forma” foi uma sensação ridícula de felicidade.

Faltam 20 dias para a maratona de Lisboa e é com urgência (ridícula) que vou tentar recuperar uma parte da forma perdida.

A verdade é que hoje as minhas memórias dessa lesão é que são ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

Nota: O treino ridículo de hoje está disponível aqui.


Bons treinos e melhores corridas!!!

Resumo do mês de Agosto

Agosto foi um mês para esquecer!… 

Treino na Serra da Arrábida
Dos cerca de 320 Km previstos para o mês de Agosto, apenas consegui correr pouco mais de 165 Km. A primeira quinzena serviu para dar um pouco de descanso às pernas, mas tinha previsto uma segunda quinzena com treinos à seria para preparar convenientemente as maratonas de Lisboa e Porto que se avizinham. Infelizmente uma pequena lesão no músculo tibial anterior, que só agora está perto de debelar, deitou todos os meus planos por água a abaixo, e não me permitiu treinar durante duas semanas. Como consequência principal, terei de redefinir os meus objectivos para a Maratona de Lisboa: tinha previsto correr esta maratona para perto das 3h30, mas com este contratempo irei correr para a terminar e se possível fazer menos de 4h. Será uma maratona ao estilo de um treino longo e transfiro assim os objectivos de Lisboa, e se entretanto conseguir recuperar a forma perdida, para a Maratona do Porto.

Mesmo com contratempos ainda consegui fazer dois treinos interessantes no mês de Agosto:

  • Um treino longo de 41Km pela Serra da Arrábida, que serviu como iniciação ao (light) Trail, e que corri na companhia, entre outros, do Paulo Pires que à data estava a fazer os últimos treinos antes da sua participação no UTMB. Foi um treino forte, onde fiquei sem água a cerca de 10Km do fim, e que por esse motivo se veio a revelar algo penoso de terminar. Ainda assim gostei bastante da experiência e brevemente espero voltar de novo à serra.

Alguns dos companheiros no treino pela Serra da Arrábida

  • Um treino de preparação para São João da Lampas, com rampas e mais rampas para subir a um ritmo forte, onde corri cerca de 22Km. Foi um bom treino, organizado pelo Miguel Pinho, e com uma participação numerosa de pessoal muito bem-disposto.


Treino de preparação para a MM de São João das Lampas
Para a história os números do mês de Agosto:
• Contagem: 12 Treinos
• Distância percorrida: 167,14 km
• Tempo: 16:51:09 h:m:s
• Ganho de elevação: 2370 m
• Velocidade Média: 9,9 km/h
• Ritmo Cardíaco Médio: 141 bpm
• Calorias Gastas: 12558 Cal
Agosto foi para esquecer, mas venha agora a Meia Maratona de São João das Lampas já no próximo Sábado. Vai ser o meu primeiro verdadeiro teste pós lesão, pelo que o ritmo vai ser moderado e sem grandes aventuras. Ainda assim será para bater o meu PB 🙂
A equipa ACCVCAVI deverá contar com 9 atletas nesta prova, um verdadeiro recorde de participações!!!
  

Bons treinos e melhores corridas!!!