MONT BLANC | CCC UTMB® 2015

Partilho convosco o filme MONT BLANC | CCC UTMB® 2015, filme que mostra a epopeia da equipa de elite de Trail da Nike nas edições do UTMB e do CCC do ano passado.

O filme é relativamente interessante.

É um documentário comercial para promover a equipa da Nike e é um filme para americanos, uma vez que parte da premissa que os atletas americanos têm pouco sucesso nas montanhas europeias e esta equipa propôs-se a contrapor esse mito, apelando de certo modo ao orgulho americano. No final dois americanos terminaram nos primeiros dois lugares do CCC e um em terceiro lugar do UTMB, pelo que se pode dizer que o objectivo foi conseguido.

A perspectiva que mais me entusiasmou ao assistir a este filme foi, como não podia deixar de ser, a possibilidade de poder assistir aos testemunhos de três grandes atletas e perceber o que os motiva, a sua preparação e os seus medos. Objectivo, Respeito, Perseguição, Medo, Compromisso, Paciência e Coragem, foram os motes que estes atletas partilharam. No fundo não diferem muito dos valores que grande parte de nós, que corre nos trilhos, partilha também. A diferença principal está mesmo no ritmo e na equipa profissional que os acompanha.

Os americanos são peritos neste tipo de filmes/documentários e no final ficamos sempre com a sensação de que também podemos imitar estes feitos. Hoje estou cheio de vontade de terminar no pódio a edição do UTMB de 2016.

Assistam ao filme, promoção da Nike e orgulho americano à parte, apreciem e desfrutem um pouco do que é o Ultra Trail do Mont Blanc.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

Fear of the Dark

Este é um artigo com banda sonora. Um bom Heavy Metal, anos 80 no seu melhor, para acompanhar um artigo também ele algo pesado para os atletas, ou não fosse abordar o tema das lesões.

Seja para os desportistas profissionais, seja para estes “malucos” que correm, acontecer uma lesão, por mais pequena que ela seja, é sempre um contratempo com uma dimensão estratosférica. Se para os desportistas profissionais é um contratempo porque não podem exercer a sua profissão e eventualmente ganhar auferir menos por isso, para os “malucos” que correm é um contratempo porque mexe com o seu bem-estar físico e psíquico, com a sua agenda social, e não raras vezes com o investimento que se fez, para ir correr em turismo num lugar distante do local de treinos habitual. Os “malucos” que correm costumam por isso ficar rezingões, chatos e implicativos quando não podem correr. Ao fim de dois dias sem correr parecem crianças com sarampo, quando não podem sair de casa nem brincar com os amigos.

Depois uns dias, semanas, ou meses depois, recupera-se da lesão e volta-se a poder correr, mas aí… surge (quase sempre) a fase do medo. Uma espécie de, como diz a canção, medo do escuro, de não olhar para o lado porque sentimos algo a observar-nos. É um pouco, um tipo torce o tornozelo, recomeça a correr nos trilhos, mas não dá a passada forte que dava anteriormente, não pula para aqui e para ali porque parece que ainda sente qualquer coisa…

E se calhar até sente, porque os “malucos” que correm recomeçam quase todos a treinar antes de curar a 100% as lesões…

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

Aproveito para desejar boa sorte a todos os amigos que vão participar este fim-de-semana no Gerês Trail Adventure. É com muita pena que este ano não posso participar, mas a experiência do ano passado, na primeira edição do GTA, foi brutal. Divirtam-se e boa prova para todos.