Regresso aos 21Km

Há mais de seis meses que não corria 21Km.

Finalmente com o tornozelo a não dar chatices e depois de umas semanas a suar as queijadas de figo acumuladas nas férias, este fim-de-semana lá me juntei (a medo) a um grupo de Salamandrecos que ia correr 20 a 25 Km pela Serra de Sintra.

O anúncio que o Adro colocou sobre o treino era claro, treino duro, duração de 3 horas, 20 a 25Km. Isto queria dizer que para além da distância, o desnível iria ser “bruto” e as perninhas iam doer a subir e a descer.

Nas últimas semanas os treinos foram quase sempre à volta de 10Km, mas na 4ª por Belas fui até aos 16 Km e senti-me bem. Os primeiros quilómetros custam sempre um pouco, mas a partir dos 10 Km a máquina parece que fica mais oleada.

E no Sábado também foi assim. Apesar de ir preparado para fazer um desvio rumo ao fim do treino a qualquer momento, consegui ir acompanhando as lebres ao longo de todo o treino, ainda com algum esforço é claro, mas ainda há alguns quilos extra para mandar embora.

As sensações foram boas e isso é o mais importante. Agora é ir treinando e a forma vai regressar aos poucos.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Regresso aos trilhos

Domingo foi dia de regressar aos trilhos. A ideia era fazer os 28 quilómetros do percurso “Entre o Mar e a Serra” por Sintra, mas entusiasmei-me na subida à Peninha e acabei por me enganar no trajecto, encurtando algum caminho nessa zona.

_small_0002

Ainda assim foi um treino interessante, pelas arribas da Adraga, Ursa e Cabo da Roca, e subida à Peninha. Deu para constatar o que já sabia, de que ainda há muito trabalho pela frente até ao UTMB.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
03:44:30 03:13:01 23.18 7.20 18.00 1,176.50
hours hours km km/h km/h meters

Senão chego a Chamonix e o mais provável será ouvir: Treinasses!…

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

I Treino da Fábrica de Pólvora

Desafiei alguns amigos a virem correr Domingo nos arredores da Fábrica da Pólvora de Barcarena.

O grupo que se juntou não era grande mas era bom, e desafiámos as rampas de Barcarena e arredores com vontade e determinação.

DSC00375

Houve quem só tenha feito metade, quem só tenha feito dois terços, mas eu acabei por correr 34Km nesta manhã domingueira, onde não estava prevista chuva, mas onde ainda tomámos três banhos que até souberam bem e refrescaram as ideias.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
03:22:25 03:13:39 31.88 9.88 21.60 771.20
hours hours km km/h km/h meters

Um dia destes haverá convocatória para o II Treino da Fábrica de Pólvora, onde o requisito para participar é ter força nas pernas. Estejam atentos.

DSC00388

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

Primeira Salamandra do Ano

Ontem foi o meu primeiro Trail da Salamandra em 2016, na sua edição CXXXIV.

Treino em ritmo suave, o que deu direito a muitas “piscinas” para compensar. Uma das “piscinas” incluiu uma subidinha à Pedra Amarela e deu para constatar o óbvio, de que ainda faltam muitos quilómetros para chegar a uma forma no mínimo aceitável. Mas o caminho faz-se caminhando e cá estou eu a caminhar.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
01:57:57 01:46:41 15.15 8.52 28.80 513.30
hours hours km km/h km/h meters

Nesta edição houve um recovery especial, uma canja quentinha, cozinhada pela Patrícia e pelo AP, que soube muito bem no final de uma noite fresquinha pela Serra de Sintra. Assim habituam mal o pessoal.

Não podia deixar de referir a battle de bolos de laranja entre a Carla Adro e a Tita Luís. Eu sei quem venceu mas não digo!…

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

2016 Um novo reinício

Um bom ano de 2016 para todos vocês!

O meu ano desportivo já começou e tem começado da melhor maneira. Treinos em ritmo suave e tranquilo, muito reforço muscular, e a preparar a máquina para daqui a umas semanas começar a treinar num ritmo mais forte e intenso. A agenda, no entanto, continua sempre preenchida.

Ontem foi dia de inaugurar mais um treino, o I Treino do Kalorias Runners, grupo dos sócios e amigos do Kalorias Club que para além do fitness também gostam de correr.

kaloriasrunners

Hoje é dia de participar no Trail Pirata do Amigos do Parque da Paz, mais uma cruzada pelos recantos de Almada e Cacilhas, com este excelente grupo de amigos.

app

Dia 31 vai haver o primeiro UTNSS do ano e a celebrar o 3ºaniversário da primeira edição. De certeza que este Trail Noctuno na Serra de Sintra será mais um excelente treino, mas infelizmente vou faltar. A primeira edição foi assim:

Faltarei por um outro bom motivo é claro, vou ajudar o meu amigo Pedro Trigueira no treino longo de preparação para a sua estreia na distância da Maratona. Sempre que posso gosto de ajudar os meus amigos a atingirem os seus objectivos, assim como outros já me ajudaram e continuam a ajudar a mim.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

Domingo de Sol, Mar e Serra

Hoje o track levou-me a fazer uma das minhas voltas preferidas, um percurso entre as arribas e a Serra de Sintra, uma versão reduzida do percurso do treino “Entre o Mar e a Serra” que em tempos foi dinamizado pelo amigo Xavier.

IMG_20151115_074858

Praia da Adraga 7h45, muito fresquinho. Nove graus e uma brisa fresca no ar, os raios de sol que se adivinham por trás da serra ainda não estavam altos o suficiente para me poderem aquecer. Na subida da praia para a arriba, pude então receber esse calor tão especial do sol ainda a nascer. O treino estava definido como lento, para aproveitar e desfrutar das cores fantásticas com que o sol outonal estimula esta paisagem.

12243593_1007805652573059_9220346804360658716_n

A praia da Adraga lentamente ficou para trás e as vistas do topo da arriba seguiam fantásticas, com o vermelho do sol, o azul do mar e o verde das plantas que circundavam o trilho, a provarem o porquê de estas cores primárias criarem toda uma palete de cores incríveis.

IMG_20151115_084808

Com este estado de espirito ficaram para trás as praias do Cavalo, do Carneiro, da Ursa e da Aroeira, onde o trilho foi um verdadeiro sobe e desce até ao Cabo da Roca. Uma pausa para mais umas fotos, e toca a descer o trilho do Cabo da Roca para voltar a subir do outro lado da encosta, como quem vai para a Praia de Assentiz. Mais um sobe e desce, num trilho não foi muito visitado nos últimos tempos e que por estar fechado causou alguns arranhões, até chegar às rochas sobre o mar, onde recordei a ventania e as fotos que tirei há uns meses atrás com o amigo Vargas, esse malandro…

IMG_20151115_095539

Era altura de subir em direcção à Peninha. Mudança de rumo, saí da arriba, e subi o trilho até ao Moinho do Dom Quixote, subindo ora pelo estradão ora pelos single tracks até à Peninha.

11988512_10153714452963703_32885686605166090_n

Chegado ao ponto mais alto da aventura de hoje, iniciei a descida até ao carro, foram mais 10 quilómetros que se não foram sempre a descer foram quase. Downhill do trilho da Viúva, seguindo pelo trilho até Colares, um pouco de alcatrão e trilho de novo até Almoçageme, onde terminei com a famosa descida da duna até à Adraga.

IMG_20151115_095045

Uma volta 5 estrelas, com uma variedade de trilhos e single tracks fabulosos, daqueles que dão mesmo muita vontade de quase não correr e apenas desfrutar a paisagem.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
04:09:59 02:49:49 20.82 7.35 32.76 910.60
hours hours km km/h km/h meters

Hoje foi assim, uma manhã de ritmo calmo, a aproveitar o sol, o mar a serra, e absorver aquela energia tão boa que estes elementos nos conseguem transmitir.

12003868_10153714453063703_621308052570684670_n

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

12243438_1007805469239744_2568187790255819930_n
Não fiquem aborrecidos à espera dos atrasados. Se querem ir mais depressa vão de autocarro! 🙂

Trail da Salamandra CV

Já não ia ao Trail da Salamandra desde a sua edição número 100. Na passada quinta-feira foi a edição 105 pelo que passaram apenas cinco semanas, mas parecia-me que não ia à Salamandra há já uma eternidade.

salamandra CV2Desta fez foi um treino soft, mas com direito a uma dose extra de vento que teimava em contrariar a direcção da corrida, o que criou alguma dificuldade adicional ao treino. Valeu a temperatura amena da noite que, mesmo com vento, não deixou que o frio se fizesse sentir como nas típicas noites da Serra de Sintra.

O misticismo que se sente a correr à noite pela Serra de Sintra, continua a ser uma sensação indescritível.

Para a semana há mais.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

Os Nocturnos

Há os Nocturnos de Chopin e há os Nocturnos pelos Trilhos de Sintra.

Gosto igualmente dos dois.

A subtileza, o encanto e a magia com que a Maria João Pires interpreta Chopin, são as mesmas com que o António Pedro prepara cada um dos percursos destes treinos. E hoje já é a edição 96!

Por altura da edição 37 também tinha feito uma referência ao Trilho da Salamandra que podem reler aqui.

SalamandraApós largas semanas de ausência, hoje é dia de regressar à Salamandra e matar saudades de correr pelos trilhos de Sintra à noite e revisitar todos os amigos Salamandrecos.

Até já.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

7º Ultra Trilhos da Serra de Sintra 2015

Hoje é dia, ou melhor, noite de treino longo. Uns preparam a participação nos 111Km de Sicó, outros preparam a participação no MIUT, outros vão apenas treinar, mas todos nos predispomos a ir correr madrugada fora 53 Km pelos altos e baixos da Serra de Sintra.

O ano passado também fiz com este grupo um treino equivalente, com o intuito de preparar a minha estreia nos 100 Km do Ultra Trail de São Mamede e que podem ler ou reler clicando aqui.

O ano passado com o Vargas, que vai ter falta este ano

Este ano há mais experiência, menos material a testar e experimentar, e não será a estreia a correr 50 quilómetros, mas a responsabilidade de tentar acompanhar grandes atletas como os que irei acompanhar mais logo é sempre enorme e será bom sinal se os conseguir acompanhar até ao fim sem dificuldade. Este é sobretudo um treino para ganhar forma para os desafios dos próximos meses.

No final uma coisa é certa, os travesseiros da Piriquita estarão à nossa espera acabadinhos de fazer e não haverá misericórdia na sua degustação.

O percurso mais logo será assim…

Vamos aproveitar para testar uma aplicação do também atleta de trail Vitório Damas, que permite a localização do grupo online ao longo do percurso. Quem estiver com insónias e quiser saber por onde andam estes malucos dos trilhos, basta clicar aqui a partir das 23h59 de hoje (Sábado).

Este ano não nos vamos esquecer da chave do portão

Se nos vossos treinos quiserem que alguém saiba por onde vocês andam a treinar, podem também usar a versão mobile desta aplicação, que envia SMS para um número da vossa escolha de x em x tempo. Têm de ter um telefone com sistema operativo Android, ir à Google Play Store e instalar a App gps2sms.

Continuação de bons treinos e boas provas!!! 😉

Treino Nocturno – Get Ready for UTSM

O mote para o treino começava com:
“Com a aproximação de Grandes desafios, impõem-se Grandes treinos.
A proposta apresentada tem como objectivo principal testar o Equipamento e a Máquina para o MIUT, mas também serve para o UTSM, OMD e afins…”

Objectivo para 2014 concluir o UTSM – check!
Necessário testar o equipamento – check!
Necessário testar a máquina num desafio ambicioso – check!

Respondido o quiz da morte com 100% de respostas positivas, que decisão haveria a tomar senão a de participar neste enorme desafio?!

O Vargas ainda estava meio dentro meio fora e aqui o João Mata ainda se ria!!!

E digo enorme desafio porque o proposto era um treino de 55 Kms, com mais de 2500 metros de desnível positivo, a acompanhar alguns craques do pelotão no que às Ultra Maratonas diz respeito, num treino a começar à meia-noite para simular o início do MIUT e do UTSM.


E assim à hora combinada, meia-noite, lá estava no meeting point combinado, o bonito Palácio Nacional de Sintra. Feitos os cumprimentos e apresentações da praxe, o grupo de cerca de 20 atletas lá partiu para as entranhas da Serra de Sintra.

A noite esteve sempre fabulosa! Lua cheia e uma temperatura muito agradável para correr, pelo que nunca foram necessários casacos, luvas ou outros acessórios para o frio. O cenário apresentava-se perfeito para um excelente treino.

O percurso foi sempre espectacular, com passagem por trilhos e por paisagens fabulosas. Não faço ideia do nome de todos os sítios por onde passámos, mas o percurso que fizemos está aqui para quem gosta de ver estas coisas:

http://www.strava.com/activities/121060316/embed/a82ad7a1dc7ae985d419d535f8e75302eedbfc6b

A imagem que me ficou na memória foi a de algures ali para o Guincho, olhar para o mar, e ver a lua reflectida nas águas calmas do atlântico, e a iluminar uma fileira de árvores no cimo da falésia. Excelente imagem a preto e branco e daquelas que dava uma fotografia muito bonita.
Uma das paisagens que observámos.Crédito de todas as fotos: Paulo Pires.

Voltando ao treino, apanhou-se um pouco de tudo, incluindo saltar muros, vedações, ou passar por cima ou por baixo de portões trancados, em percursos quase sempre de terra, mas também alguns quilómetros com empedrado, e ainda alguns locais com muita pedra. As subidas, essas foram mais do que muitas, e reflectiram-se nos mais de 2300 metros de desnível positivo com que terminámos.

O portão não abria mas há sempre solução. Uns foram por cima outros foram por baixo 🙂

Por volta dos 32 Km, seriam umas 5 e picos da manhã, o grupo dividiu-se. Uns por encontrarem já empenados e outros por falta de tempo para fazer o percurso mais longo, decidiram ficar pela Malveira onde tinham carros à espera. Os resistentes seguiram pelo meio dos trilhos e logo com uma subida de respeito, a famosa “sai de gatas”, que confesso custou um bocadinho a subir, mas foi apenas mais um entre desafios. Depois mais trilhos, mais subidas, mais descidas, e com o tempo a passar muito depressa optou-se por encurtar um pouco o treino, tendo este terminado com 50 Km e não com os 55 Km inicialmente previstos. Eram cerca das 8h10 quando chegámos novamente a Sintra e ainda tivemos de esperar que a Piriquita abrisse às 8h30, para repor calorias com uns belos Travesseiro.

Foi um excelente treino, a primeira vez que corri 50 Km e dar muita confiança para as provas que aí vêm: UT do Piodão, Gerês Trail Adventure e claro o UTSM.

Só posso agradecer a todos os que participantes e em particular ao Didier que organizou o treino, pela boa disposição constante e pelos espectaculares momentos que passámos a correr madrugada fora.
Os companheiros de treino. A vista do pessoal a subir e a iluminar o caminho é sempre espectacular!

No que diz respeito aos testes de equipamento e da máquina, os resultados foram bastante positivos.


A mochila Raidlight Ultra Olmo mostrou-se bastante confortável e prática ao longo de todo o percurso, nunca se fazendo sentir os cerca de 4 Kg extra que levava às costas.

O relógio A-Rival Spoq 100, sempre a registar segundo a segundo toda a informação. Track carregado, sempre a mostrar informação clara acerca do percurso, e no final das 8 horas de corrida a bateria mostrava ainda 70% de capacidade disponível.

O frontal Led Senser H7R.2 simplesmente espectacular. Sempre a funcionar até pouco depois das 6 da manhã quando o clarear o tornou desnecessário, e sem grande gestão da luminosidade, sempre que era necessário acelerar mais um pouco os 300 lumens eram sempre imprescindíveis para evitar qualquer percalço, nem chegou a dar o primeiro aviso de bateria descarregada. É sem dúvida uma grande mais-valia para correr à noite.

A alimentação: alguns pormenores a afinar, mas o correr em grupo e com atletas melhores que nós também não permitem uma gestão da corrida com os nossos timings. Por volta das 6h começou a dar-me a fome e deveria ter parado 10 minutos para comer uma das sandes de presunto que tinha comigo. Mas como não parámos, não consegui comer a não ser umas barras que também levava comigo até chegarmos até Sintra. Desta vez não houve dores de barriga, a hidratação foi boa, e com uma gestão da corrida mais personalizada em principio este é um ponto que está sob controlo.
Eu, o Vargas e o Mata. O Mata já estava a olhar para o relógio e a pensar que estava na hora de se ir deitar 🙂

A máquina: Foi a primeira vez que corri 50 Km e senti-me bastante bem. É claro que a performance está longe ser a melhor, mas comecei nos trails há 3 meses pelo que há muita margem de progressão para melhorar. As subidas continuam a ser o ponto menos forte, mas com mais treino este aspecto melhorará. A descer e em plano não há grande problema e foi bom chegar aos 50 Km e perceber que poderia continuar por mais quilómetros sem qualquer problema. A gestão do esforço durante a corrida continua a ser talvez o meu ponto forte, e neste treino não foi diferente, e sem grandes aventuras de ritmo senti-me bem e confortável ao longo de todo o percurso.

Eu e o Vargas, a brilhar algures no meio do treino.

Um abraço especial para o Vargas e para o Mata, o primeiro porque vai ser o meu companheiro de aventuras nos três desafios que se seguem, e que foi convencido por mim a vir a este treino que completou igualmente com sucesso. E o Mata que se deixou convencer pelo Vargas a vir também treinar, e que terminou pelos 32 Km já com alguma dificuldade, mas é claro, melhores treinos e provas virão.


Continuação de bons treinos e de melhores provas!!!