Regresso aos trilhos

Domingo foi dia de regressar aos trilhos. A ideia era fazer os 28 quilómetros do percurso “Entre o Mar e a Serra” por Sintra, mas entusiasmei-me na subida à Peninha e acabei por me enganar no trajecto, encurtando algum caminho nessa zona.

_small_0002

Ainda assim foi um treino interessante, pelas arribas da Adraga, Ursa e Cabo da Roca, e subida à Peninha. Deu para constatar o que já sabia, de que ainda há muito trabalho pela frente até ao UTMB.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
03:44:30 03:13:01 23.18 7.20 18.00 1,176.50
hours hours km km/h km/h meters

Senão chego a Chamonix e o mais provável será ouvir: Treinasses!…

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

Acompanhar os 101 Peregrinos

Por esta hora já vou a caminho de Ponferrada para participar na ultramaratona 101 Peregrinos.

Quem quiser acompanhar online a minha aventura bem como a de diversos tugas que irão participar nesta edição dos 101 Peregrinos, podem clicar aqui para acompanhar as actualizações na aplicação Follow Me, a partir das 7h30 (hora portuguesa) de amanhã.

O principal objectivo é terminar a prova sem mazelas, de modo a começar a preparação para o UTMB com a melhor disposição e forma possível. Portanto é ir rolando devagarinho, desfrutar o percurso, e sem pressas chegar ao fim que há tempo de sobra para morrer e ressuscitar por diversas vezes ao longo dos 101 Km.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

Em modo Peregrino

Oficialmente em modo Peregrino. A 3 dias da partida, esta está longe de ser a prova mais difícil em que participei, mas 101 Km são 101 Km e há que respeitar o percurso, a distância e ir preparado para todas as surpresas que uma prova desta distância apresenta.

Fisicamente também estou longe da melhor forma, a começar a ganhar ritmo para o UTMB em Agosto, que parece ainda distante mas que na realidade é já ali ao virar da esquina. Psicologicamente fortíssimo como sempre e é a cabeça que comanda o corpo.

101peregrinos_aba

Esta prova vai sobretudo servir para treinar. Treinar as horas em pé, treinar o corpo em distâncias longas, treinar equipamentos, treinar hábitos alimentares, treinar as forças interiores e exteriores. Pontos para treinar não faltam!…

Venham então os 101 Peregrinos, vamos lá correr o Caminho de Santiago de Inverno e chegar ao fim para contar como foi.

Continuação de bons treinos e de boas provas!!!

 

Treino temático “Fado, património da Humanidade”

Mais logo haverá lugar um Treino Temático organizado pelos Run4Fun.

Para quem nunca ouviu falar dos Treinos Temáticos, resumem-se a treinos pela cidade de Lisboa, com um tema fixo (entre outros já se realizaram treinos dedicados, a Francisco Lázaro, a Fernando Pessoa, à Biodiversidade, a Lisboa devota, aos Chafarizes, aos Presidentes, aos elevadores), onde durante a corrida se faz uma pausa e se ouve a história sobre o local onde estamos, sempre muito eloquente e bem preparada.

Podem encontrar aqui os detalhes do Treino Temático deste fim de tarde cujo tema será “Fado, património da Humanidade”.

97094-ttmfl4
Foto do Treino Temático “Recordar Francisco Lázaro”

Terá início às 20h00 com na Radio Amália (Rua Viriato nº25 em Lisboa) com chegada à Associação Cultural O Fado (ACOF) em Chelas e passagem em locais ligados ao Fado num total não superior a 12 km. Entre outros, o treino passará pela Mouraria e por Alfama; ginginha no Chafariz de Dentro e rumo ao Panteão Nacional, onde está a musa do fado para a eternidade. A noite terminará a ouvir uns fadinhos e a aconchegar o estômago.

A não perder!

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

 

Subir até ao céu

Quase todos sabem que estar fechado numa sala a fazer exercício não é bem a minha onda.

Quem me rouba a natureza, o sol, a lua e as estrelas, o ar puro, os sons dos bichos, as brisas e as sombras, tira-me quase tudo. No entanto há motivos de força maior que pontualmente obrigam a trocar o ar livre pela sala do Kalorias. Foi assim o ano passado antes do MIUT e é assim agora antes dos 101 Peregrinos.

E a questão é exactamente a mesma: como correr sem correr, ou seja, como correr sem impacto nas articulações (no meu caso do tornozelo), mantendo à mesma o trabalho cardiovascular de intensidade e o trabalho muscular de pernas. A resposta que encontrei o ano passado antes do MIUT foi a maquineta de CrossRamp, que foi fundamental para manter o treino até à partida em Porto Moniz. Este ano vou repetir a lição que tão bem funcionou, até poder voltar a correr sem receios e esforço no tornozelo no meio do mato, mantendo assim a preparação em curso até à partida dos 101 Peregrinos.

A maquineta de CrossRamp é uma espécie de elíptica. Uma espécie não, é mesmo uma elíptica mas com uma configuração diferente, o tal crossramp, que permite uma inclinação entre 10 a 40 graus. Na prática mantemos o movimento elíptico como se estivéssemos a correr, mas com os pés fixos em pedais tipo skis, o que permite uma espécie de corrida em plano inclinado, sem qualquer impacto nas articulações.

Precor546

Como disse a inclinação pode variar entre os 10 e os 40 graus, e o nível de dificuldade pode ir de 1 a 20, mas não faço ideia a medida de resistência correspondem esses níveis. Sei que a partir do 17 já é muito difícil dar ao pedal, pelo que costumo treinar num nível entre o 12 e o 16, consoante o treino que tenho de fazer.

Trinta minutos de exercício com inclinação variável entre os 18 e os 40 graus equivale, no meu caso, a mais ou menos 5 km de distância, dependo da minha aplicação. Dependendo da inclinação os músculos que se trabalham neste exercício são os glúteos, quadríceps, isquiotibiais e gémeos, mantendo assim a boa forma das pernas para a corrida.

Esperam-me pelo menos duas semanas a dar no CrossRamp. Vão ser poças de suor no chão do Kalorias!

Comigo funcionou permitindo-me pelo menos manter uma forma aceitável antes do MIUT e espero que volte a resultar de novo.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

__________

De hoje até Sábado dia 2 de Abril, podem vir experimentar à borlix as novas coreografias no Open Day do Kalorias de Linda-a-Velha.

Apareçam, tragam amigos e participem experimentem as Novas Coreografias. Aulas abertas a todos Sócios e Não Sócios.
ENTRADA GRATUITA, bastando inscreverem-se na recepção.
12819414_501015820085855_4608512512772719227_o
DIA 31 MARÇO
18h00 – Power Jump
19h05 – Body Pump
20h15 – Body Jam

DIA 1 ABRIL
18h25 – Grit
19h00 – Body Combat
20h00 – RPM

DIA 2 ABRIL
10h30 – Body Balance
11h40 – Body Attack
17h00 – Sh’Bam
18h00 – Zumba
19h10 – Body Step

Peregrinação

Faltam 30 dias para os 101 Peregrinos, 22 semanas para o UTMB, e a preparação não podia estar pior.

O tornozelo torcido nos Trilhos do Paleozóico veio atrasar um pouco a preparação para estas duas peregrinações e se para o UTMB nada está comprometido, para os 101 Peregrinos já não posso dizer o mesmo.

101peregrinos

A 30 dias da partida, esta paragem forçada de 15 dias vai fazer dos 101 Peregrinos isso mesmo: uma peregrinação. No fundo, é um pouco da continuação do ano de 2015 em que nunca consegui chegar a um pico de forma decente. Há que trabalhar e esperar que a boa sorte apareça e consiga inverter esta tendência até Agosto.

Assumindo que os 101 Peregrinos serão para ser feitos em modo de requisitos mínimos e que esta prova tem um nível de dificuldade ao de muitas outras provas que já completei, há que prepará-la com a mesma seriedade e rigor para mitigar todas as surpresas que uma prova de mais de 100 Km nos pode apresentar.

Tão importante como treinar, um dos passos para o sucesso é a preparação e o estudo efectivo dos detalhes da prova. O primeiro passe desta preparação começa aqui.

101Peregrinos3

Perfil da Prova

Distância Total: 102,00 km
Desnível positivo acumulado: 3721.32 m

Desnível negativo acumulado: 3717.04 m

Desnível acumulado: 7438,36 m

 Altura máxima : 1458.5 m
 Altura mínima : 379.9 m
 Racio de subida: 7.93 %
 Racio de descida : 7.65 %
 Desnível positivo por Km: 36.15 m
 Desnível negativo por Km: 36.11 m

101peregrinos2

Resumo de desníveis Km

 A Subir  Distância Km  Km totais em %
 Entre 15 e 30%  4.7  4.63
 Entre 10 e 15%  8.9  8.71
 Entre 5 e 10%  16.6  16.16
 Entre 1 e 5%  16.5  16.1
 Total  46.9  45.59
Plano
 Desnível até 1%  7.4  7.21
A Descer
 Entre 1 e 5%  18.0  17.56
 Entre 5 e 10%  16.9  16.46
 Entre 10 e 15%  8.5  8.35
 Entre 15 e 30%  4.9  4.84
 Total  48.5  47.2
Total track:   102.00  100 %

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

II Trilhos da Costa Saloia

Ontem foi dia de ir até ao Mucifal para correr a segunda edição dos Trilhos da Costa Saloia, organizados pela União Mucifalence, o clube lá da terra. Para mim foi uma estreia absoluta e total, já que nunca tinha estado no Mucifal, uma localidade pertencente a Colares, Sintra.

Eram prometidos 23Km de trilhos com cerca de 600m de desnível positivo, e o cartaz foi cumprido. Foi a minha primeira prova oficial da época, o que serviu para rever muitos amigos que também ali se deslocaram para correr.

small_0115

As provas organizadas pelas colectividades destas localidades mais pequenas são, geralmente, enormes no empenho e na dedicação que estas colocam para que tudo corra bem, e os Trilhos da Costa Saloia não foram excepção.

O percurso foi agradável, bastante rolante, com curtos troços de terrenos diferentes, água, lama, areia, rocha, o que requereu sempre uma alguma atenção ao longo de todo o trajecto.

small_0087

Alguns pontos mais técnicos, em que se requeria alguma perícia a descer e a subir, deu para perceber que o meio do pelotão anda com falta de treino neste aspecto da corrida, tal o número de atletas que para ultrapassar uma pequena descida e subida mais inclinada, abrandaram o ritmo causando um congestionamento no trilho.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
02:31:01 02:27:37 23.34 9.49 16.20 627.90
hours hours km km/h km/h meters

A parte que mais gostei foi o trajecto de praia do Magoito até às Azenhas do Mar, sempre junto à arriba, que em dia solarengo como o de ontem ganham um brilho e uma magia extra.

Percorri os 23Km sem paragens nos abastecimentos, pelo que não consigo avaliar este ponto da organização.

small_0148

Pessoalmente cumpri o que me propus a fazer, terminando com 2h30, e sendo este apenas mais um pequeno passo rumo ao UTMB.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Podem consultar mais fotos desta prova clicando aqui.

 

Para onde vais?

Quem nunca saiu de Lisboa viaja ao infinito no carro até Benfica, e, se um dia vai a Sintra, sente que viajou até Marte.*

Gostava de ir correr por aí, descobrir, ou melhor conquistar, os trilhos deste mundo e do outro. Detesto chegar a Sintra e ter a sensação de que cheguei a Marte, tal a vontade de descobrir outros mundos e outras gentes. E pessoalmente até nem me posso queixar, apesar de haver muitos trilhos para conquistar, já percorri alguns outros pelo mais diversos países que me permitem outras interpretações de quem não teve essas mesmas oportunidades.

Viajar é interpretar. Duas pessoas vão ao mesmo país e, quando regressam, contam histórias diferentes, descrevem os naturais desse país de maneiras diferentes. Uma diz que são simpáticos, a outra diz que são antipáticos. Uma diz que são tímidos, a outra diz que não se calam durante um minuto.**

Viajar é isto e ir correr numa viagem é isto também. É descobrir novas pessoas, novos lugares, novas paisagens, novas sensações… é dois amigos correrem o mesmo trilho e ambos terem opiniões e sensibilidades diferentes sobre o que viveram.

A viagem não começa quando se percorrem distâncias, mas quando se atravessam as nossas fronteiras interiores.***

Viajar e correr uma Ultra Maratona têm ambas estas similitudes. É convivermos horas a fio connosco próprios, divagar e falar sozinhos com o nosso eu, ultrapassar muitas fronteiras interiores que nunca ou raras vezes ultrapassamos.

Tenho sede de viajar, sede de aventuras, sede de correr em locais que ainda não sei descrever.

Alguém me traga um copo de água por favor…

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

*Fernando Pessoa

**José Luís Peixoto

*** Mia Couto

 

Um Escadinhas e Subidinhas visto por dentro

Para quem nunca experimentou e tem alguma curiosidade em perceber como é um treino Escadinhas e Subidinhas, tem aqui um vídeo que ilustra relativamente bem o que se passou numa destas noites fantásticas, pelo menos no que diz respeito às Escadinhas, já que as Subidinhas ficarão para outro vídeo.

O próximo Escadinhas e Subidinhas é já no próximo dia 25, apareçam para subir umas escadas 😉

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Primeira Salamandra do Ano

Ontem foi o meu primeiro Trail da Salamandra em 2016, na sua edição CXXXIV.

Treino em ritmo suave, o que deu direito a muitas “piscinas” para compensar. Uma das “piscinas” incluiu uma subidinha à Pedra Amarela e deu para constatar o óbvio, de que ainda faltam muitos quilómetros para chegar a uma forma no mínimo aceitável. Mas o caminho faz-se caminhando e cá estou eu a caminhar.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
01:57:57 01:46:41 15.15 8.52 28.80 513.30
hours hours km km/h km/h meters

Nesta edição houve um recovery especial, uma canja quentinha, cozinhada pela Patrícia e pelo AP, que soube muito bem no final de uma noite fresquinha pela Serra de Sintra. Assim habituam mal o pessoal.

Não podia deixar de referir a battle de bolos de laranja entre a Carla Adro e a Tita Luís. Eu sei quem venceu mas não digo!…

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!