Não se pode correr, pedala-se!

Já há umas semanas que não escrevia no blogue.

Andava eu a cumprir o meu plano de treinos dos “100 Kg aos 100 Km”, quando o “azar” bateu de novo à porta com uma arreliadora lesão: uma fasceíte plantar.

Lá se foram os planos de regressar às ultras para o primeiro semestre de 2018 e, muito possivelmente, para o segundo semestre também.

A minha fasceíte, sim porque esta é só minha, já se manifestava há alguns meses por via de uma moinha ligeira no calcanhar, que sempre pensei que fosse mais um fenómeno estranho como este que me aconteceu há dois anos. Mas não, desta vez a moinha foi aumentando, aumentando, até ao ponto de considerar dor e de ser impeditiva de correr. Lá cumpri o ritual de ir ao médico, fazer exames, e o veredito foi esse, da tal fasceíte plantar. Consequência: 2 a 4 meses sem correr, sem caminhar e sem fazer esforços a pé.

Desde então já vou em 8 semanas sem correr, e os planos para o Ultra Trilhos da Gardunha, Estrela Grande Trail e Canfranc Canfranc foram desmobilizados.

O remédio mais apropriado para curar a fasceíte é a fisioterapia, o repouso do pé e o tempo, e ando a cumprir estes três requisitos o mais que posso.

Entretanto aguardo pacientemente que o tempo ajude a curar a fasceíte e possa recomeçar a correr em breve.

Como nem tudo pode ser mau, o médico sugeriu que passasse a andar de bicicleta, já que assim não tinha de apoiar o pé no chão e não causaria nenhum atraso na recuperação da lesão.

Foi assim que acabei por comprar uma bicicleta e que acabei por fazer o meu primeiro Granfondo há uma semana atrás, no Granfondo de Lisboa. Mas essa já é outra história para contar.

Quem quiser saber algo mais sobre as fasceítes e o procedimento para a sua recuperação pode ler este site (em português) ou este (em inglês) ambos com informação muito útil.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Kiss the mountain & The ridge

Kiss the Mountain e The Ridge são duas revistas digitais espanholas sobre montanha e a cultura de montanha, que costumo acompanhar.

Nesta edição em particular, para além de uma entrevista com o François D’Haene, vencedor do UTMB deste ano e um dos melhores atletas de trail running da actualidade, há ainda fotos brutais do Tor de Geants sendo um dos protagonistas o nosso Carlos Sá, e uma foto reportagem sobre a Ultra Maratona PT281+ que decorre na nossa Beira Baixa.

Para ver em full screen e ficar deliciado…

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Do not go gentle

Se podes conservar o teu bom senso e a calma
No mundo a delirar para quem o louco és tu…
Se podes crer em ti com toda a força de alma
Quando ninguém te crê… Se vais faminto e nu,
Trilhando sem revolta um rumo solitário…
Se à torva intolerância, à negra incompreensão,
Tu podes responder subindo o teu calvário
Com lágrimas de amor e bênçãos de perdão…

Se podes dizer bem de quem te calunia…
Se dás ternura em troca aos que te dão rancor
(Mas sem a afectação de um santo que oficia
Nem pretensões de sábio a dar lições de amor)…
Se podes esperar sem fatigar a esperança…
Sonhar, mas conservar-te acima do teu sonho…
Fazer do pensamento um arco de aliança
Entre o clarão do inferno e a luz do céu risonho…

Se podes encarar com indiferença igual
O triunfo e a derrota, eternos impostores…
Se podes ver o bem oculto em todo o mal
E resignar sorrindo o amor dos teus amores…
Se podes resistir à raiva e à vergonha
De ver envenenar as frases que disseste
E que um velhaco emprega eivadas de peçonha
Com falsas intenções que tu jamais lhes deste…

Se podes ver por terra as obras que fizeste,
Vaiadas por malsins, desorientando o povo,
E sem dizeres palavra, e sem um termo agreste,
Voltares ao princípio, a construir de novo…
Se puderes obrigar o coração e os músculos
A renovar um esforço há muito vacilante,
Quando no teu corpo, já afogado em crepúsculos,
Só exista a vontade a comandar avante…

Se, vivendo entre o povo, és virtuoso e nobre…
Se, vivendo entre os reis, conservas a humildade…
Se inimigo ou amigo, o poderoso e o pobre
São iguais para ti à luz da eternidade…
Se quem conta contigo encontra mais que a conta…
Se podes empregar os sessenta segundos
Do minuto que passa em obra de tal monta
Que o minuto se espraia em séculos fecundos…

Então, ó ser sublime, o mundo inteiro é teu!
Já dominaste os reis, os tempos, os espaços!…
Mas, ainda para além, um novo sol rompeu,
Abrindo o infinito ao rumo dos teus passos.
Pairando numa esfera acima deste plano,
Sem receares jamais que os erros te retomem,
Quando já nada houver em ti que seja humano,
Alegra-te, meu filho, então serás um homem!…

(Tradução do poema If de Rudyard Kipling, recitado no espectacular vídeo em baixo)

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

2017 já era, venha daí 2018

Desde que comecei a correr em 2011, que não tinha um ano desportivo tão mau.

2017 tem sido um ano inolvidável ao nível pessoal mas, ao nível desportivo e de condição física, o nível não tem sido mais do que miserável.

Consegui correr duas provas de estrada, a saber, os 10 Km da Corrida do Benfica e os 8 Km da Corrida BeActive, corridas em trilhos zero e corridas de ultra distância também zero.

O mais perto que me consegui encontrar do número 100 foi na balança, o que é sempre indesejável.

Foram vários os recomeços ao longo do ano, mas por um motivo ou por outro nunca consegui manter a consistência de treino nem atingir uma forma minimamente aceitável.

O que fazer então até final do ano? Aproveitar para treinar o possível e ganhar balanço para entrar mais forte em 2018, ficar mais longe do 100 da balança e também fugir da forma redonda.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Revogar o irrevogável

O meu amigo e atleta João Colaço tinha decidido abandonar as ultras depois de participar na Euforia, corrida de montanha em Andorra, com 233Km e mais de 20000 metros de desnível positivo.

Mas como ele próprio diz “Por vezes, as maiores certezas desaparecem num ápice. Para o mal ou para o bem? No mínimo, para a frente! Siga!”.

E a propósito disto escreveu o interessante texto que aqui partilho ou que podem ler directamente clicando aqui.

Que continues a inspirar muitos atletas com os teus feito João.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

Vamos apoiar a Selecção Nacional

Amanhã, dia 10 de Junho, é dia de Portugal e dia da Seleção Nacional de Trail que compete Campeonato do Mundo de Trail 2017 na Tuscânia em Itália.

Depois da brilhante participação no Campeonato do Mundo de 2016 que decorreu no Gerês, é com alguma expectativa (apesar da ausência do Tiago Aires), que irei acompanhar a nossa equipa neste campeonato.

A titulo individual aposto no brilharete do Hélio e da Inês, que se estiverem em forma, irão ser capazes de nos surpreender a todos pela positiva.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!

A caminho de Santiago IV

Recompostos da etapa matinal, recomeçámos o nosso Caminho com o objectivo de Caldas de Reis.

Esta é a etapa de que tenho menos memórias e pressuponho por isso que talvez tenha sido a menos interessante.

Nesta etapa o Caminho faz-se quase sempre por estradas secundárias e por raras vezes por alguns troços mais rurais.

Lembro-me de cruzarmos uma mata, durante alguns quilómetros, que nos protegeu do sol da tarde, e de passarmos por algumas igrejas, invariavelmente fechadas, e que não podemos visitar. De entre estas a Igreja de Santa Maria de Alba que data de 1595.

Chegámos a Caldas de Reis já a noite ia cerrada, mas ainda passámos pela fonte de água termal, característica desta localidade, e pela zona mais central, enquanto procurávamos alojamento.

A imponente Igreja de Santo Tomás Becket (de 1890), encontrava-se fechada, estado que manteve na manhã do dia seguinte.

Tomámos um duche e fomos repor as calorias gastas com uma pizza e uma caña que nos soube pela vida.

Esta jornada teve 40 Km e nos dois dias já seguíamos com 84 Km nas pernas, o que para uma estreante é obra. No entanto chegámos menos cansados que no da anterior e era tempo de descansar para tentar chegar a Compostela no dia seguinte.

Elapsed Time Moving Time Distance Average Speed Max Speed Elevation Gain
05:44:38 05:01:03 25.27 5.04 12.60 225.40
hours hours km km/h km/h meters

Será que conseguimos?…

(Continua)

__________

Peço a vossa ajuda para votarem neste blogue no RunUltra Blogger Awards 2017.

Cliquem aqui ou na imagem em baixo, escolham o meu nome para votar no Off The Beaten Track, vão até ao final da página e sigam as instruções que lá estão para concluir a votação e já está.

Agradeço desde já a vossa participação.

Continuação de bons treinos e de boas aventuras!!!